RECOMENDE!

terça-feira, janeiro 31, 2006

Liberdade - solidão

"A verdadeira liberdade é um ato puramente interior como a verdadeira solidão: devemos aprender a sentir-nos livres até num cárcere e estar sozinhos até no meio da muldidão"
Massimo Bontempelli.
Sabemos que a verdade é que liberta (Jo 8.32), pois Ela é uma lâmina de dois gumes que penetra no mais profundo do nosso íntimo (Hb 4.12) separando a alma do espírito, ou seja, a alma é o resultado da associação do pó da terra (matéria) com o Fôlego de Deus (espírito). Corpo sem alma é defunto e alma sem corpo é fantasma, mas a Palavra de Deus é tão poderosa que separa nossa matéria do nosso espírito. Epa! não é espiritismo! Simplesmente nos tornamos livres porque abrimos nossos olhos espirituais e vemos uma outra vida a se viver, uma vida espiritual. Tornamo-nos outra criatura, um ser espiritual. Nossos valores não se associa ao material, nossos princípios, nossas esperanças são originários do Reino dos Céus, não mais deste mundo. Podemos escolher entre viver para o espirito e viver para a alma que está profundamente enraizada na nossa carne corrompida. A liberdade é efeito do insight causado pela Palavra. Ser livre é não deixar que situações exteriores transforme seu interior. Nos temos a paz que excede todo entendimento, mesmo com aflições temos paz em Cristo. Ninguém te tira da benção, é você que tira a benção do seu coração. Paulo mesmo encarcerado estava livre, pois tinha ciência do propósitos da sua vida.
Quer alguém mais encarcerado do alguém que vive na solidão. É terrível, mesmo morando em grandes metropoles, pessoas estão amargando uma triste solidão, pois solidão não significa estar longe dos outros, mas longe de você mesmo, é no seu interior que é resolvido este problema e se não estamos bem com nós mesmos, não vamos sustentar um bem-estar ao lado de ninguém.
Clay Nunes.
31.01.2006

Nenhum comentário: