RECOMENDE!

quinta-feira, março 30, 2006

CONSCIÊNCIA EXORCISTA


É certo que o mal existe. Muitos ainda duvidam da existência de Deus, mas o mal é evidente. Há aqueles que são simpatizantes das trevas, outros são indiferentes, há os que respeitam, os que lutam contra e os que se tremem de medo.
Como vamos nos livrar e nos defender deste mal?
As opções são muitas, inclusive já participei de algumas como, regressão, hipnose, banho de pipoca e outros condimentos, reza ‘forte’, novena, campanha e por ai vai. Mas o que liberta de verdade? A consciência. Somente ela pode perseverar na libertação que é um ato de fé, e esta é puramente racional. O animal vive por instinto, ele sabe que vai encontrar os suprimentos e as soluções para os problemas diários também não se preocupa com o dia de amanhã. Ele não tem fé, ele tem certeza. Que nada mais é do que fé, a diferença é que a fé dele é automática, enquanto a nossa precisa ser estimulada e fortemente sustentada.
A fé vem pelo ouvir (Rm 10.17) e ouvir é uma faculdade racional, pois o ouvir tem que ser acompanhado do entendimento, Filipe precisou explicar a Palavra que o eunuco estava lendo (At 8.26-40). Só teremos fé se raciocinarmos, ou seja, exercer a consciência, juntar toda a educação, experiência e personalidade por num balaio e agitar, a partir desta mistura, avaliar o que é bom e o que é ruim, então alistar um exército opositor ao pensamento ruim ou a tentação sedutora, e os soldados deste exército são as verdades e os princípios pré-estabelecidos na consciência. Só podemos gerar uma relação com o mundo através da consciência, através dela criamos nosso caráter e as nossas escolhas. A consciência é quem faz nossas escolhas e as nossas escolhas nos fazem. Através da minha consciência faço minha decisão e esta faz o meu caminho. Consciência também é sinônimo de responsabilidade, alguém consciente é alguém que sabe das suas responsabilidades.
Quando há um leão rugindo ao nosso lado, Pedro nos orienta resistir firme na fé, como Jesus exemplificou no deserto, manteve-se firme nos seus preceitos. Aquele que é consciente da Palavra de Deus e tem fé (certeza) que é a verdade, sabe que a tentação não é maior que a sua força e que após a tempestade virá a bonança (1Co 10.13). Foi isto que Deus falou para Caim, você sabe que isto é errado, a decisão e as conseqüências são suas, você tem força para escolher.
Mas quando o pecado já invadiu o quartel general é hora de aliar-se a outros exércitos, outras consciências, com uma fé mais forte. Pessoas que vão ajudar na caminhada da retomada do QG através da transferência de soldados (princípios) e também vai restaurar os soldados feridos deste exército que foi derrotado em uma batalha. Este tipo de consciência está cativa, é prisioneira do exército inimigo, está viva, mas sem força para lutar. A intervenção externa é necessária, mas com pouca intensidade, a força maior precisa vir do exército derrotado, isto é, da própria consciência a ser restaurada.
Há também aqueles que já foram saqueados e quase dizimados pelo exército inimigo, para este é preciso uma intervenção de forças externas mais poderosas, buscadas através de jejum e oração. São os casos de possessão demoníaca, ou seja, o demônio entrou e tomou posse, é preciso que uma outra consciência cheia de fé venha expulsar o inimigo daquele território e devolvê-lo ao proprietário devido, fortalecendo o seu exército, a sua fé. É como o EUA está fazendo com o Iraque, ou pelo menos tentando. Vai ensiná-lo a pescar, ensinar a caminhar com seus próprios passos. Após a libertação a pessoa só irá manter-se liberta se caminhar através da sua fé firmada na sua consciência.
A magma de todas as virtudes é a perseverança, sem ela de nada adianta as demais. Libertação não é apenas um ato, é um processo, está profundamente ligada à perseverança, o liberto que não perseverar de nada adianta voltar à escravidão, por isso Paulo nos adverte constantemente para vigiarmos, estamos numa guerra espiritual que não são travadas com filosofias, manifestações místicas ou doutrinas religiosas. O que vale nesta guerra é a atitude desempenhada em cada situação de nossa vida, e com o conhecimento da verdade (Jo 8.32), podemos formar um forte exército para combater o inimigo. João fala ‘se andarmos na luz como Ele (Cristo) está na luz’, ou seja, viver tendo como luz, o conhecimento ensinado por Cristo. Esta é a forma de exorcizar os demônios que nos rodeiam. É dizer não ao caminho oferecido, mostrando-lhe que há um caminho incomparavelmente melhor. Jesus no deserto não só rejeitou a proposta de Satanás, mas rebateu todas com algo mais sublime.
O exército somos nós que formamos, mas os soldados vêm de Deus, somente Ele nos presenteia com a pura verdade. Busquemos Nele os melhores princípios, as melhores diretrizes para nossa vida que é uma batalha diária.
Com que tipo de princípios guerreiros você quer formar seu exército de fé? Sua consciência está adequadamente habilitada para ser quartel general deste exército? Purifique-a na água viva da verdade que está em Deus, refletida para nós através do nosso Senhor Jesus, pois somente Nele somos mais que vencedores, somente seguindo o Único que já venceu o mundo alcançaremos uma vitória triunfante.

CLODOALDO CLAY NUNES
29.03.2006

Nenhum comentário: