RECOMENDE!

sábado, março 24, 2007

O MOVIMENTO DA VIDA


por pe fábio de melo, scj.

Eu não sei se a vida é que vai rápida demais ou se sou eu que estou mais lento. O que sei é que ando me atropelando nos próprios passos.Eu resolvi desacelerar. Eu vou no rítmo que posso. Não é fácil. É sabedoria que requer aprendizado! Eu quero aprender. O descompasso é a causa de todo cansaço. O corpo é rápido, mas o coração não. O corpo anda no compasso da agenda. O coração anda é no compasso do amor miúdo. O corpo sobrevive de andares largos. O coração sobrevive de pequenos passos e de demoras. Eu já fui e voltei a inúmeros lugares e o coração nem saiu do lugar. O mistério é saber reconciliar as partes. Conciliar um ritmo que seja bom para os dois.Eu quero aprender. Não quero o martírio antes da hora. Quero é o direito de saborear o tempo como se fosse um menino que perdeu a pressa. O show? Ah, deixa pra depois. A voz não morrerá. Acendemos as luzes noutra hora. Deixe que o padre viva a penumbra de algumas poucas velas... Um padre combina mais com uma vela acesa que com um canhão de luz. Há momentos em que a luz miúda nos revela muito mais que mil holofotes. Chega de vida complicada. Eu preciso é de simplicidade!

O MENINO QUE ME LEVA...


por pe fábio de melo, scj.

O desenho de nuvens é sempre um encanto diante dos olhos de quem ainda não cresceu demais. Infância resguardada, e que não impede a maturidade. Apenas um detalhe de criancice preservada; coisa que não faz diferença na somatória final que nos confere responsabilidade. Tenho descoberto um menino escondido em meu corpo crescido. Vem quando menos imagino; e vem querendo ficar. O desassossego é próprio dos tempos de transição. Há tantas felicidades do outro lado da ponte, mas antes é preciso a travessia. Mas eu não tenho direito de esperar por felicidade alguma. Travessia também é lugar de felicidade. Aprendi a duras penas. Pena que por vezes me esqueço.Eu não quero esquecer tantas coisas, mas eis que vem o menino e rabisca minha agenda e me convida para uma vagabundagem inocente. A chuva caindo lá fora, e ele gritando aqui dentro de mim, pedindo pra eu retirar os sapatos, correr na chuva e colocar na enxurrada, barquinhos de papel. Esse menino não tem jeito, mas é ele que dá jeito em mim. Quando a vida fica dura demais para ser enfrentada, ele me presenteia com um jeito engraçado de ver os fatos. Aí eu rio e durmo sem os medos que me acordaram no meio da noite. A vida é assim. Quando o adulto não suporta o peso há sempre um menino escondido, pronto para nos ajudar a continuar.Eu continuo, mas continuo porque há um menino me conduzindo, não me deixando desistir. Ele me conduz pela mão...

quinta-feira, março 22, 2007

Objetivos e estratégias - A base de tudo

Experimente pensar sobre uma pessoa que não tem nenhum objetivo, propósito, projeto, desejo, sonho, nada. O que ela fará? Ela fará nada ou assistirá televisão. Quando nós temos objetivos, então nós estamos agindo para alcançá-los: um curso ou treinamento, um novo carro ou casa, um companheiro, beber água, relaxar, adquirir algum conhecimento ou desenvolver alguma habilidade.
Para alcançar nossos objetivos, nós usamos seqüências de ações chamadas estratégias: estudar desta ou daquela maneira, praticar algum tempo, ir aqui e ali, pesquisar na internet, existem virtualmente infinitas opções e combinações. Outra alternativa é combinar uma estratégia principal com algumas de apoio, que não são essenciais mas nos fazem ir mais rápido ou de maneira mais prazerosa.
Assim, a essência da inteligência é imaginar que a situação presente pode ser diferente, isto é, os objetivos ou resultados desejados, e, usando conhecimentos e habilidades, escolher ações combinadas que materializarão o que foi imaginado, que farão a transformação da situação atual na desejada. As outras definições de inteligência estão contidas nesta: o QI, por exemplo, se refere a estratégias de raciocínio lógico-dedutivo; a inteligência emocional se refere ao gerenciamento de emoções para... atingir objetivos. Inteligências lingüística, interpessoal, intrapessoal e outras como definidas por Gardner também têm implicíto o uso das capacidades humanas para atingir resultados.
O mais importante a notar aqui é que temos essa capacidade de definir objetivos e as estratégias para atingi-los. No fundo, o fato de termos objetivos indica que queremos que algo seja diferente no mundo ou em nós mesmos e estamos agindo para que essa diferença se concretize.
Mas algumas vezes a estratégia que adotamos não é apropriada para o objetivo ou não é compatível com nossas capacidades do momento. Ou talvez nós não saibamos que estratégia usar. Pode ser simplesmente que algo possa ser feito mas não sabemos isto. Pode acontecer também que nós já conseguimos e não notamos. Todas essas possibilidades são oportunidades de melhoria, oportunidades de expandir a inteligência: descobrir uma nova estratégia, adaptar uma existente, parar de tentar uma e tentar outra, usar uma estratégia diferente.
Mas que tal as estratégias que usamos para pensar? Será que temos escolhas nesta área? Antes de você ser um homem ou mulher, um pai ou uma mãe ou qualquer outra coisa, você é um pensador. Existem muitas alternativas aqui, também. Mude o quê, quando e como você pensa e estará mudando sua experiência, seu comportamento e como você se sente sobre tudo isso. Neste site você vai encontrar muitas alternativas de como pensar para obter resultados específicos. Alguns deles foram inspirados por pessoas que sabiam pensar bem sobre algo e foram modeladas por outros (usando PNL). E eu espero que suas estratégias de pensamento e decisão atuais lhe dêem a opção de considerar as novas!
Neste site você encontrará muitas possibilidades de estratégias para definir e alcançar objetivos, aprender e memorizar, criar, estratégias para sua percepção e muitas mais. Mais e melhores estratégias podem lhe proporcionar mais liberdade e efetividade de pensar, de decidir e de agir, o que resulta em maior paz, competência, harmonia e melhor qualidade de vida em geral.
Essencialmente isto é tudo que nós precisamos: objetivos atraentes e estratégias efetivas para chegar lá. Como expresso no livro Neurolinguistic Programming (Dilts e outros):
"A mágica do sucesso é questão de empregar as estratégias mais efetivas. A maioria das estratégias podem ser facilmente aprendidas ou modificadas para alcançar os objetivos que você escolher".
Virgílio Vasconcelos Vilela

SETE


veja o nome do peão - click para amplia-la.


excelente!


Você é inteligente?


Esta é uma pergunta inteligente?
Às vezes você se questiona se é inteligente ou não? Ou o quão inteligente você é? Vamos buscar aqui algumas respostas inteligentes para essas perguntas.
Inicialmente, temos que fazer uma distinção. Existe mesmo algo chamado "inteligência"? As coisas que existem concretamente podem ser percebidas através dos sentidos. Por exemplo, "tangerina" é o nome de algo que se pode ver, pegar e sentir o gosto. E quanto à inteligência, você já viu uma? Já pegou em alguma? Já sentiu o gosto de uma inteligência?
Assim como “tangerina” é uma palavra que usamos para descrever algo (“mexerica” é outra palavra para o mesmo propósito), inteligência é uma palavra para descrever comportamentos direcionados a objetivos. Os comportamentos que elaboramos para matar a sede são inteligentes. Os comportamentos que aplicamos para aprender um assunto são também inteligentes. A indução matemática é um comportamento inteligente padronizado, que serve para resolver certos tipos de problemas. Você está neste momento aplicando alguns padrões de comportamento inteligente para ler este texto.
Assim, quando falamos em inteligência, estamos nos referindo a ações, comportamentos. Quando dizemos que alguém é inteligente, estamos resumindo alguns comportamentos que observamos na pessoa.
A pergunta mais apropriada, portanto, é: você é inteligente em quê? Para conseguir fazer o quê? Todos que se movem tem inteligência motora para criar movimentos. Todos que enxergam têm
inteligência visual. Quem fala tem inteligência suficiente para criar frases com sintaxe e significado. Aliás, a comunicação lingüística envolve várias habilidades distintas: em termos das estratégias de pensamento requeridas, ler é diferente de escrever que é diferente de falar que é diferente de compreender (como mostrado por Dilts e Epstein em Aprendizagem Dinâmica Vol. II). Assim, o fato de alguém demonstrar inteligência para ler não quer dizer por si só que terá o mesmo grau de inteligência para escrever.
Então, a pergunta inicial não é lá muito apropriada. É mais útil perguntar quais as inteligências que uma pessoa possui, demonstradas pelos resultados que ela consegue obter. Ou seja, você pode se considerar inteligente para um objetivo específico se tem uma estratégia específica para atingi-lo ou se pode elaborar uma quando necessário. E quanto mais fácil obter os resultados, maior o grau de desenvolvimento de cada inteligência.
Além do que uma pessoa aprendeu, afeta o que ela faz também o seu estado físico e emocional (como ela está agora). Você bem sabe que uma pessoa pode ter a sua inteligência normal modificada por emoções, não? E também sabe que em situações extremas uma pessoa pode fazer muito mais do que ela própria acreditava que pudesse. Há então a inteligência potencial e a inteligência efetivamente aplicada em um momento, que depende do estado, do ambiente, da motivação. Talvez nem saibamos de tudo que somos capazes.
E note que nem falamos em tempo; se você consegue algo em três dias e outra pessoa gasta sete, quem é mais inteligente? Uma pessoa que toma uma decisão em 2 segundos, ou outra que toma decisão semelhante em 10? Ambas têm a mesma inteligência, o que difere é a produtividade. Dizem que Einstein era um gênio, mas imagine se você, como ele, dedicasse 10 ou 20 anos a um mesmo propósito, algo assim como cavar todo esse tempo em um mesmo buraco? Será que com as suas inteligências atuais você poderia fazer também coisas geniais? E se aplicasse como apoio à sua inteligência a
estratégia do estímulo aleatório, ou alguma outra? E se você se juntasse a outras pessoas com o mesmo propósito? E se você fizesse perguntas "e se" para descobrir novos caminhos diante de obstáculos? E se você reservasse 15 minutos por dia para expandir sua inteligência? Ou fizesse um curso para isto?
Voltando à pergunta inicial: você é inteligente? Pensando bem, a resposta mais inteligente a adotar com quem perguntar isto é dar-lhe uns tabefes...
Virgílio Vasconcelos Vilela

quarta-feira, março 21, 2007

O Jogo da Amarelinha - Cap 7

Autor: Júlio Cortázar
[Tradução de Fernando de Castro Ferro.]
Toco a sua boca, com um dedo toco o contorno da sua boca, vou desenhando essa boca como se estivesse saindo da minha mão, como se pela primeira vez a sua boca se entreabrisse, e basta-me fechar os olhos para desfazer tudo e recomeçar. Faço nascer, de cada vez, a boca que desejo, a boca que a minha mão escolheu e desenha no seu rosto, e que por um acaso que não procuro compreender coincide exatamente com a sua boca, que sorri debaixo daquela que a minha mão desenha em você.Você me olha, de perto me olha, cada vez mais de perto, e então brincamos de cíclope, olhamo-nos cada vez mais de perto e nossos olhos se tornam maiores, se aproximam uns dos outros, sobrepõem-se, e os cíclopes se olham, respirando confundidos, as bocas encontram-se e lutam debilmente, mordendo-se com os lábios, apoiando ligeiramente a língua nos dentes, brincando nas suas cavernas, onde um ar pesado vai e vem com um perfume antigo e um grande silêncio. Então, as minhas mãos procuram afogar-se no seu cabelo, acariciar lentamente a profundidade do seu cabelo, enquanto nos beijamos como se tivéssemos a boca cheia de flores ou de peixes, de movimentos vivos, de fragância obscura. E se nos mordemos, a dor é doce; e se nos afogamos num breve e terrível absorver simultâneo de fôlego, essa instantânea morte é bela. E já existe uma só saliva e um só sabor de fruta madura, e eu sinto você tremular contra mim, como uma lua na água.

CHOQUE COM URUBU
















quinta-feira, março 15, 2007

terça-feira, março 13, 2007

CLAY


MUNDO VICIADO

O assunto do momento é o aquecimento global, destruição da camada de ozônio, da flora e da fauna. Químicas que transformam nossos alimentos em mutantes e que continuam as suas mutações em nossos corpos através de doenças como o câncer. Podemos alistar muitas outras coisas que caracterizam nosso acelerado processo rumo ao caos. Sabemos inclusive quais são os fatores que proporcionam tamanha desgraça.
Mas de que adianta saber?

É como um fumante, de nada adianta vir na caixa de cigarros a informação que há mais de 4.700 substâncias tóxicas e ainda expor fotos de fetos e pulmões podres, homens retalhados e crianças seguindo o exemplo. Eles continuaram fumando mesmo se vier com um pedacinho de pulmão podre, e como todo bom brasileiro leva na 'esportiva'. Como o cara que compra cigarro e pede para o balconista trocar, pois aquele causa impotência sexual, brincando por causa da foto. O drogado é igual. Pode ver o amigo morrer de overdose ou baleado num beco de favela que continuará se drogando. Pode mostrar as barbaridades que os traficantes misturam que ele continuará cheirando.

Assim é com todo tipo de vício. Jogos, sexo, álcool ou qualquer coisa que causa dependência. Inclusive a dependência de pessoas. Sabe que aquela companhia está destruindo, mas o que a pessoa mais quer é estar ao lado do seu algoz.

As informações dos danos nocivos e da trágica carreira que o vício propõe têm que estar à frente do sentimento de prazer que determinado vício oferece. Depois de ter sido fisgado pelo prazer, dificilmente o viciado vai ouvir a voz da razão, pois a extravagante festa gerada nos sentimentos não permite o seu entendimento.

O mundo segue o mesmo rumo. Nós, os únicos seres 'inteligentes' que habitam este planeta somos os únicos a direcionar o mundo ao caos. Estamos viciados em petróleo e madeira que descarrila uma infinidade de derivados que somos viciados em todos eles. Sabemos e vemos todos os seus malefícios, contudo seguimos ladeira abaixo do vicio.

Nossos vícios como todos os vícios, têm a tolerância, ou seja, sempre queremos mais e mais. Nunca há o contentamento. São novas tecnologias que transformam as atuais em passado com uma voracidade que surpreende até o tempo. Mesmo porque, produtos atuais não são feitos para durar, são descartáveis. Aumentando o lixo e a extração de recursos.

Os três maiores problemas são: o lixo produzido, a extração e a contaminação desenfreada dos recursos naturais. O pior e mais nocivo lixo produzido é o gás carbônico. Por causa da quantidade descomunal que é liberado na atmosfera estamos sofrendo os piores efeitos dos nossos vícios.

Não podemos esperar alguma atitude das autoridades. Giram muitos interesses em torno dos nossos vícios. São muitos que ganham bilhões ou trilhões à custa da nossa dependência. Um pequeno, mas grande exemplo é a venda de cigarros. Sabe que vicia e mata. Contém inúmeros venenos, mas eles vendem. Por quê? Porque ganham 300% de impostos sobre os cigarros.

Precisamos de recuperação. E a recuperação do nosso mundo tem que partir de nós. O 'greenpeace' é forte na determinação e na perseverança, mas é fraco na política. Tem eficiência, mas pouca eficácia. Suas ações na maioria das vezes se tornam espetáculo para o mundo ver e aplaudir.

Não podemos estagnar na admiração de suas ações, temos que seguir com a nossa parte. Boicotar empresas que contaminam o meio ambiente ou que fazem extrações proibidas. Manifestar o contínuo interesse no controle rígido de poluentes em veículos e empresas. Até chegar ao extremo de rejeitar tudo de um país que não aceita as normas mundiais de controle da poluição. Os produtos podem chegar até as prateleiras, portanto jamais entrará nas casas.

O consumismo tem a imagem de prosperidade, empregos e entretenimento. Só que a forma que consumimos está em déficit, pois a natureza não suporta este ritmo. Estamos sobrecarregando o meio ambiente. Podemos ver suas inflamações em várias partes, em algumas, o pus já está expurgando. Ainda não temos o antibiótico para a cura. Entretanto, temos uma solução de longo prazo, mas com possível efeito positivo.

Basta crer e fazer acontecer!

Temos que controlar nosso consumo, lutar por energias renováveis, boicotar empresas transgressoras, exigir das autoridades providências na restauração e proteção do meio ambiente, além de pesquisas para desfrutarmos de uma vida mais saudável. Todos nós sabemos que tudo isso é difícil de acontecer. Mas as coisas começam pequenas e com contínua e crescente determinação atingem enormes proporções.

Podemos começar agora. Com pequenas atitudes de cada um, surgirá um lindo horizonte de recuperação. Escolher melhor nossos alimentos, fugir dos produtos que danificaram a natureza em algum momento da sua produção. Praticar a reciclagem, economizar água, plantar o verde por onde passar. Andar mais a pé ou de bicicleta, não jogar lixo no chão, ou seja, ser um autêntico cidadão. Até atingirmos o nível de confrontar de peito aberto àqueles que têm o poder destrutivo em suas mãos, empresários insanos e governos sem aptidão.



CLODOALDO CLAY NUNES

13.03.2007

segunda-feira, março 12, 2007

Versões

Veríssimo

Vivemos cercados pelas nossas alternativas, pelo que podíamos ter sido. Ah, se apenas tivéssemos acertado aquele número ("Unzinho e eu ganhava a sena acumulada"), topado aquele emprego, completado aquele curso, chegado antes, chegado depois, dito "sim", dito "não", ido para Londrina, casado com a Doralice, feito aquele teste... Agora mesmo neste bar imaginário em que estou bebendo para esquecer o que não fiz - aliás, o nome do bar é "Imaginário" - sentou um cara do meu lado direito e se apresentou.
- Eu sou você se tivesse feito aquele teste no Botafogo.
E ele tem mesmo a minha idade e a minha cara. E o mesmo desconsolo. Por quê? Sua vida não foi melhor do que a minha?
- Durante um certo tempo, foi. Cheguei a titular. Cheguei à seleção. Fiz um grande contrato. Levava uma grande vida. Até um dia...
- Eu sei, eu sei... - disse alguém sentado do outro lado dele.
Olhamos para o intrometido. Tinha a nossa idade e a nossa cara e não parecia mais feliz do que nós. Ele continuou:
- Você hesitou entre sair e não sair do gol. Não saiu, levou o único gol do jogo, caiu em desgraça, largou o futebol e foi ser um medíocre propagandista.
- Como é que você sabe?
- Eu sou você se tivesse saído do gol. Não só peguei a bola como mandei para o ataque com tanta perfeição que fizemos o gol da vitória. Fui considerado o herói do jogo. No jogo seguinte, hesitei entre me atirar nos pés de um atacante e não me atirar. Como era um "herói", me atirei. Levei um chute na cabeça. Não pude mais ser goleiro. Não pude mais nada. Nem propagandista. Ganho uma miséria do INPS e só faço isso: bebo e me queixo da vida. Se não tivesse ido nos pés do atacante...
- Ele chutaria para fora.
Quem falou foi outro sósia nossa, ao lado dele, que em seguida se apresentou.
- Eu sou você se não tivesse ido naquela bola. Minha carreira continuou. Fiquei cada vez mais famoso, e agora com fama de sortudo também. Fui vendido para o futebol europeu, por uma fábula. O primeiro goleiro brasileiro a ir jogar na Europa. Embarquei com festa no Rio...
- E o que aconteceu? - perguntamos os três em uníssono.
- Lembra aquele avião da Varig que caiu na chegada em Paris?
- Você...
- Morri com 28 anos.
Bem que tínhamos notado a sua palidez.
- Pensando bem, foi melhor não fazer aquele teste no Botafogo...
- Nem sair do gol naquela bola...
- E ter levado o chute na cabeça...
- Foi melhor - continuei - ter ido fazer o concurso para o serviço público naquele dia. Ah, se eu tivesse passado...
- Você deve estar brincando - disse alguém sentado à minha esquerda.
Tinha a minha cara, mas parecia mais velho e desanimado.
- Quem é você?
- Eu sou você, se tivesse entrado para o serviço público.
Vi que todas as banquetas do bar à esquerda dele estavam ocupadas por versões de mim no serviço público, uma mais desiludida do que a outra. As conseqüências de anos de decisões erradas, alianças fracassadas, pequenas traições, promoções negadas e frustração. Olhei em volta. Eu lotava o bar. Todas as mesas estavam ocupadas por minhas alternativas e nenhuma parecia estar contente. Comentei com o barman que, no fim, quem estava com melhor aspecto, ali, era eu mesmo. O barman fez que sim com a cabeça, tristemente. Só então notei que ele também tinha a minha cara, só com mais rugas.
- Quem é você? - perguntei.
- Eu sou você, se tivesse casado com a Doralice.
- E?
Ele não respondeu. Só fez um sinal, com o dedão virado para baixo.

O QUE FAZ BEM PRA SAÚDE?


Cada semana, uma novidade. A última foi que pizza previne câncer do esôfago.
Acho a maior graça. Tomate previne isso, cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas peraí, não exagere...
Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.
Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.
Prazer faz muito bem.
Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz eu me sentir novo em folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois eu rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas, me incham o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.
E telejornais os médicos deveriam proibir - como doem!
Essa história de que sexo faz bem pra pele acho que é conversa, mas mal tenho certeza de que não faz, então, pode-se abusar.
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo faz muito bem: você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde.
E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda.
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou muzzarela que previna.
Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau! Cinema é melhor pra saúde do que pipoca.
Conversa é melhor do que piada.
Beijar é melhor do que fumar.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Tomo pouca água, bebo mais que um cálice de vinho por dia, faz dois meses que não piso na academia, mas tenho dormido bem, trabalhado bastante, encontrado meus amigos, ido ao cinema e confiado que tudo isso pode me levar a uma idade avançada.
Sonhar é melhor do que nada.
Autor
Luis Fernando Veríssimo

O quase - Veríssimo

Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

domingo, março 11, 2007




Deus entre as pessoas - Harold Kushner.


Quando perguntavam a Martin Buber - o grande filósofo e teólogo judeu - "Onde Deus está?", ele foi suficientemente esperto para não dar a resposta estereotipada: Deus está em toda parte, Deus é encontrado nas igrejas e sinagogas. Buber respondia que Deus está nos relacionamentos. Deus não é encontrado nas pessoas, mas entre as pessoas. Quando duas pessoas estão verdadeiramente em sintonia uma com a outra, Deus se aproxima e preenche o espaço entre elas para que fiquem unidas. Tanto o amor quanto a verdadeira amizade são mais do que apenas uma forma de saber que somos importantes para alguém. Eles são uma maneira de levar Deus para um mundo que, de outro modo, seria um vale de egoísmo e solidão.

Nick Vujicic.



















Nick Vujicic.
Um deficiente físico que superou todos os obstáculos para tornar-se um dos maiores testemunhos do amor de Deus. Diante de todas as adversidades, acreditou no seu poder e mudou a sua história!

AS SEM RAZÕES DO AMOR -

Carlos Drummond de Andrade
Eu te amo porque te amo.
Não precisa ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionário
se a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

sexta-feira, março 09, 2007

HOMEM DE COR

Escrito por uma criança africana

Quando eu nasci, era Preto;
Quando cresci era Preto;
Quando pego sol fico Preto;
Quando sinto frio, continuo Preto;
Quando estou assustado, também fico Preto;
Quando estou doente, Preto;
E quando morrer, Preto;

E você, cara Branco:
Quando nasce, você é rosa;
Quando cresce. você é Branco;
Quando você pega sol, fica vermelho
Quando sente frio, fica roxo;
Quando você se assusta, fica Amarelo;
Quando está doente, fica verde;
Quando morrer, você ficará cinzento.

E VOCÊ VEM ME CHAMAR DE HOMEM DE CÔR????

segunda-feira, março 05, 2007

domingo, março 04, 2007

Súper-heróis ou heróis da fé?

Por: Rosilene Gomes Ribeiro
Uma reflexão sobre Hebreus 11 Geralmente quando falamos em heróis, logo nos vem à mente os super- heróis de nossa infância, personagens sobre-humanos , com super-poderes, capazes das mais incríveis façanhas, sempre vencedores invictos,quando crescemos e não curtimos mais desenhos animados e histórias de super-heróis, os heróis da grande maioria são celebridades, personalidades que realizam façanhas atléticas, artísticas, capas de revista, etc... estes também parecem sobre-humanos, perfeitos, inalcançáveis .... enfim, das duas formas, os super-heróis são sempre diferentes de nós, fazem e vivem coisas que jamais faremos ou viveremos,... porém ao lermos a lista de heróis de Hebreus 11 percebemos que esses chamados heróis não mantêm essas características, pelo contrário, são comuns, vivem como nós, enfrentam problemas como os nossos ou piores..., contudo compõem uma ilustre galeria, a galeria dos chamados heróis da fé, “ Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles”(v16), e somos convidados a viver como eles.É digno de reflexão o choque que o conceito de herói atual faz sobre o conceito de Hebreus 11, mais que isso, ler o referido capítulo faz com que nós os leitores atuais resignifiquemos o que entendemos por herói, e assim atinge além de nosso pensamento também nossas atitudes, ao percebermos que heróis do tipo de hebreus 11
Enfrentam problemas comuns...
Você já leu hebreus 11 sem todo o quadro que desde sempre pintaram para nós, que são homens e mulheres diferentes, quase inatingíveis, muito mais crentes que nós? se fizer isso e ler o capítulo de forma imparcial perceberá que se trata de pessoas comuns que enfrentam problemas também comuns e até trágicos , com certeza não ocupariam capas de revista,no máximo dariam audiência a um desses programas sensacionalistas, não parecem nem de longe com os heróis que estamos acostumados.São problemas de briga de irmãos como o de Caim e Abel, Esaú e Jacó, a triste história da esterilidade de um casal de idosos,Abraão e Sara, a tão comum questão agrária, um povo buscando terra, até uma mulher de reputação duvidosa, Raabe compõe a curiosa lista de heróis,E a lição que aprendemos é que alguém que vive pela fé, um herói da fé enfrenta problemas comuns, muito parecidos com os nossos e é em meio a essa mediocridade que o poder de Deus é manifestado, é da onde ninguém esperaria algo extraordinário, que o extraordinário acontece, talvez você pense que na sua “vidinha” comum Deus não vai intervir, ou que sua tragédia marcou demais a sua vida, mas é exatamente em cenários assim que aconteceram as mais ilustres histórias de fé, dignas de serem relatadas no Livro Sagrado, se essas histórias se parecem com a sua, prepare-se, você tem chances de se tornar um herói da fé...esses heróis também
Enfrentam aparentes contradições...
Além de serem comuns há mais um agravante na história dos heróis da fé , a vida deles é ilustrada por momentos de incríveis contradições , coisas do tipo, um casal estéril ser chamado para ser pais de uma grande nação( Abraão e Sara), ou um homem ser chamado para anunciar algo que ninguém vai acreditar e só vão zombar ( Noé), ou um cidadão que é criado com um povo e em uma cultura, para mais tarde simplesmente ser o grande líder que irá enfrentar a mesma ( Moisés), temos ainda um outro que em um dado momento é rejeitado e abandonado pelos irmãos, para mais tarde quando tem a chance de dar-lhes uma lição , se torna simplesmente o seu salvador (José), essa é a dinâmica da vida dos “heróis da fé”, contradições, promessas que parecem não ter nexo, ou no mínimo impossíveis de serem cumpridas, é em meio a essa situação que encontramos pessoas de fé,ora se a fé é a certeza do que não se vê,o título de heróis da fé caíram-lhe muito bem, pois durante um bom tempo, esses homens e mulheres não viam o que esperavam, aliás, arrisco dizer que a referida lista deveria se chamar a lista das pessoas que não viram, e que esperaram, talvez você também passe por momentos assim, em que as promessas e sonhos que estão plantados em você por Deus nada tem a ver com a realidade, ou parecem difíceis demais, quando isso acontecer , não desanime, os “preferidos de Deus” também passaram momentos assim, e venceram.... por que os heróis da fé
Andam no caminho chamado fé...
Existem pelo ao menos uns 23 “ pela fé “ no capítulo 11 de Hebreus, em alguns lugares são substituídos por “ por meio da fé”, e é interessante observar que essas expressões dão a idéia de um caminho, , a fé em Hebreus é uma via, , uma espécie de Av. pela qual os heróis trilharam , e quando pensamos em via, logo temos a idéia de processo, e a exemplo desse capítulo a fé é um caminho longo e cheio de obstáculos, se pararmos para pensar na história do chamado pai da fé, Abraão, veremos que a maior parte de sua vida foi marcada pela ausência do que ele mais queria,viveu pelo ao menos uns cem anos antes de conseguir seu tão sonhado filho, Abraão não se tornou um homem de fé só no dia que Sara deu a luz , pois a fé é a certeza do que não se vê, foi durante todos os longos anos de espera que ele se tornou um homem de fé, foi trilhando esse duro caminho da ausência do esperado, do caminho de “não ver”, foi por esse caminho- “ pela fé” que se tornou quem foi,olhe para José do Egito, recebeu uma promessa na adolescência , e passou toda a juventude e boa parte da vida adulta sem vivê-la, foi durante esse período que se tornou alguém de fé, enquanto não via margem de possibilidade de cumprimento da promessa, nesse período é que ele exercitou a fé. Portanto não espere algo acontecer para ser alguém de fé, aproveite enquanto você “não vê” algo , não é onde se chega o mais importante, mas sim como se vai, não é o lugar onde se chega, mas o jeito como se vai que o torna um herói da fé.É a história toda o que conta, os momentos bons e os ruins , na formação de uma história de fé. Você pode ser um herói da fé, aliás, de acordo com o início do capítulo 12, você “deve”ser um herói da fé, como vimos,essas são pessoas comuns que enfrentam problemas também comuns, vivem momentos de tensão e contradição na vida, mas apesar de tudo trilham um caminho de fé. Seja você também um herói, uma heroína da fé, a lista de Hb 11 não é para mostrar como somos diferentes deles, pelo contrário, é para mostrar como somos parecidos com eles, e por isso, devemos viver como eles.Não esqueça, esperança que se vê não é esperança, como alguém pode esperar por algo que vê?

PENSAMENTOS...

Solidão é uma ilha com saudade de barco.

Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.

Autorização é quando a coisa é tão importante que só dizer "eu deixo" é pouco.

Pouco é menos da metade.

Muito é quando os dedos da mão não são suficientes.

Desespero são dez milhões de fogareiros acesos dentro de sua cabeça.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Agonia é quando o maestro de você se perde completamente.

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

Renúncia é um não que não queria ser ele.

Sucesso é quando você faz o que sempre fez só que todo mundo percebe.

Vaidade é um espelho onisciente, onipotente e onipresente.

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

Orgulho é uma guarita entre você e o da frente.

Ansiedade é quando sempre faltam 5 minutos para o que quer que seja.

Indiferença é quando os minutos não se interessam por nada em especial.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.

Alegria é um bloco de Carnaval que não liga se não é Fevereiro...

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Decepção é quando você risca em algo ou em alguém um xis preto ou vermelho.

Desilusão é quando anoitece em você contra a vontade do dia.

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia.

Perdão é quando o Natal acontece em outra época do ano.

Desculpa é uma frase que pretende ser um beijo.

Excitação é quando os beijos estão desatinados pra sair de sua boca depressa.

Desatino é um desataque de prudência.

Prudência é um buraco de fechadura na porta do tempo.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

SALMO TRÊS

Por Pr. Ariovaldo Ramos
Este salmo foi escrito por Davi no período que ele fugia de Absalão. Absalão era um jovem forte, rigoroso carismático e voluntarioso. O seu meio irmão Amnon, atacou e violentou a sua irmã. Absalão esperava que Davi tomasse alguma posição. Esperava que Davi fizesse justiça. Mas, Davi não fez nada. Extremamente fora de controle, Absalão tomou as dores da irmã e matou o seu irmão. Além disso, rebelou-se contra o pai conquistando aliados dentro do reino e destitui o pai do reinado, fazendo com que fugisse de Jerusalém. Absalão significa “a paz do seu pai”. Entretanto, aqui é exatamente o contrário, pois Absalão se tornou um grande tormento para o rei Davi. Mas, Davi tinha culpa nessa confusão toda. Pelo menos em dois momentos... O primeiro momento é identificado no pecado de Davi contra o próprio Deus. E o segundo, é que Deus havia dito que a espada não iria mais se apartar do seu reino e que o que ele tinha feito às escondidas, seria feito contra ele mesmo de forma pública. O que ele havia feito no oculto com as concubinas na presença de todo o mundo ficaria notório em todo o Israel. Quase todos ficaram contra Davi, na verdade, ele só escapou porque era um guerrilheiro em Israel. No tempo de Saul Davi tinha construído vários esconderijos no deserto. Ele estava se valendo dos velhos esconderijos para escapar da fúria do seu filho. Da mesma maneira em que ele tinha escapado da fúria do rei Saul, escapava de Absalão. Davi voltou à velha situação quando ele era apenas alguém que tinha uma promessa na mão e mais nada. O que nós podemos aprender aqui? Aprendemos que, às vezes, experiências que nos foram amargas, mais tarde podem se revelar em grandes aprendizados. Porque nós pensamos que o que estamos sofrendo hoje é o máximo que podemos experimentar. Pensamos assim, porque não conhecemos o futuro. Pode ser que aquilo que hoje é um sofrimento insuportável, amanhã se torne um grande aprendizado. Davi só escapou porque teve que fugir de Saul, senão, Absalão o teria encontrado e destruído. Ele não conseguiu porque Davi havia aprendido a andar no deserto quando fugia da perseguição de Saul. As pessoas diziam que o que Davi estava passando era por causa de seu pecado contra Deus, através de Absalão o Senhor o estava punindo. A lógica dessas pessoas era que se Deus estava punindo a Davi, então, não havia salvação para ele. Essa era também, a lógica dos seus inimigos. Eles se perguntavam entre si: “porque Davi está perdendo o reino? Porque ele tem que fugir de seu próprio filho? Porque Deus o está punindo?”. E Deus o está punindo mesmo. As causas são claras em sua história: ele tomou a mulher de Urias e, ainda o assassinou. Além disso, foi um péssimo pai, pois viu o filho fazer o que fez com sua própria filha e não tomou nenhuma atitude - o que levou o seu filho Absalão a concluir que o pai já não estava em condições de governar e que não entendia mais o significado de ser um rei. Não tinha nenhum compromisso com a justiça e principalmente com Deus. Portanto, partindo desse princípio, Absalão fez uma grande campanha contra o pai. Não era difícil convencer o povo de Israel de que o rei Davi era um louco maldito e que tinha cometido muitos erros. A conclusão era aparente: esse homem rompeu com Deus não sabe mais o que significa governar o reino, portanto, não tem o direito de estar no trono. Mas a punição de Deus era para promover arrependimento e não destruição da pessoa. Eles diziam: “Não há mais salvação em Deus para ele, pois Deus o abandonou”. Aprendemos outra lição aqui neste salmo. É que Deus nunca está contra os seus escolhidos, ao contrário, Ele está sempre a favor, por causa disso, corrige. Se Deus não corrigir é sinal que não está se importando. E isso deve nos deixar preocupados. Mas Deus corrige a todos aos que ama, e o faz da maneira que Ele quer, promovendo uma transformação genuína em seus corações.

FLOWERS




FIGOS


ROSA 2 CORES







BRINCO DE PRINCESA




MINHA GATINHA


PISCINA DO SÍTIO




MINHA LAGOSTA


O TERCEIRO HOMEM A ANDAR SOBRE AS ÁGUAS


O PRIMEIRO FOI CRISTO, O SEGUNDO FOI PEDRO E O TERCEIRO FOI ESTE AÍ!!

VEJA ESTAS COMPARAÇÕES - INCRÍVEL