RECOMENDE!

terça-feira, março 13, 2007

MUNDO VICIADO

O assunto do momento é o aquecimento global, destruição da camada de ozônio, da flora e da fauna. Químicas que transformam nossos alimentos em mutantes e que continuam as suas mutações em nossos corpos através de doenças como o câncer. Podemos alistar muitas outras coisas que caracterizam nosso acelerado processo rumo ao caos. Sabemos inclusive quais são os fatores que proporcionam tamanha desgraça.
Mas de que adianta saber?

É como um fumante, de nada adianta vir na caixa de cigarros a informação que há mais de 4.700 substâncias tóxicas e ainda expor fotos de fetos e pulmões podres, homens retalhados e crianças seguindo o exemplo. Eles continuaram fumando mesmo se vier com um pedacinho de pulmão podre, e como todo bom brasileiro leva na 'esportiva'. Como o cara que compra cigarro e pede para o balconista trocar, pois aquele causa impotência sexual, brincando por causa da foto. O drogado é igual. Pode ver o amigo morrer de overdose ou baleado num beco de favela que continuará se drogando. Pode mostrar as barbaridades que os traficantes misturam que ele continuará cheirando.

Assim é com todo tipo de vício. Jogos, sexo, álcool ou qualquer coisa que causa dependência. Inclusive a dependência de pessoas. Sabe que aquela companhia está destruindo, mas o que a pessoa mais quer é estar ao lado do seu algoz.

As informações dos danos nocivos e da trágica carreira que o vício propõe têm que estar à frente do sentimento de prazer que determinado vício oferece. Depois de ter sido fisgado pelo prazer, dificilmente o viciado vai ouvir a voz da razão, pois a extravagante festa gerada nos sentimentos não permite o seu entendimento.

O mundo segue o mesmo rumo. Nós, os únicos seres 'inteligentes' que habitam este planeta somos os únicos a direcionar o mundo ao caos. Estamos viciados em petróleo e madeira que descarrila uma infinidade de derivados que somos viciados em todos eles. Sabemos e vemos todos os seus malefícios, contudo seguimos ladeira abaixo do vicio.

Nossos vícios como todos os vícios, têm a tolerância, ou seja, sempre queremos mais e mais. Nunca há o contentamento. São novas tecnologias que transformam as atuais em passado com uma voracidade que surpreende até o tempo. Mesmo porque, produtos atuais não são feitos para durar, são descartáveis. Aumentando o lixo e a extração de recursos.

Os três maiores problemas são: o lixo produzido, a extração e a contaminação desenfreada dos recursos naturais. O pior e mais nocivo lixo produzido é o gás carbônico. Por causa da quantidade descomunal que é liberado na atmosfera estamos sofrendo os piores efeitos dos nossos vícios.

Não podemos esperar alguma atitude das autoridades. Giram muitos interesses em torno dos nossos vícios. São muitos que ganham bilhões ou trilhões à custa da nossa dependência. Um pequeno, mas grande exemplo é a venda de cigarros. Sabe que vicia e mata. Contém inúmeros venenos, mas eles vendem. Por quê? Porque ganham 300% de impostos sobre os cigarros.

Precisamos de recuperação. E a recuperação do nosso mundo tem que partir de nós. O 'greenpeace' é forte na determinação e na perseverança, mas é fraco na política. Tem eficiência, mas pouca eficácia. Suas ações na maioria das vezes se tornam espetáculo para o mundo ver e aplaudir.

Não podemos estagnar na admiração de suas ações, temos que seguir com a nossa parte. Boicotar empresas que contaminam o meio ambiente ou que fazem extrações proibidas. Manifestar o contínuo interesse no controle rígido de poluentes em veículos e empresas. Até chegar ao extremo de rejeitar tudo de um país que não aceita as normas mundiais de controle da poluição. Os produtos podem chegar até as prateleiras, portanto jamais entrará nas casas.

O consumismo tem a imagem de prosperidade, empregos e entretenimento. Só que a forma que consumimos está em déficit, pois a natureza não suporta este ritmo. Estamos sobrecarregando o meio ambiente. Podemos ver suas inflamações em várias partes, em algumas, o pus já está expurgando. Ainda não temos o antibiótico para a cura. Entretanto, temos uma solução de longo prazo, mas com possível efeito positivo.

Basta crer e fazer acontecer!

Temos que controlar nosso consumo, lutar por energias renováveis, boicotar empresas transgressoras, exigir das autoridades providências na restauração e proteção do meio ambiente, além de pesquisas para desfrutarmos de uma vida mais saudável. Todos nós sabemos que tudo isso é difícil de acontecer. Mas as coisas começam pequenas e com contínua e crescente determinação atingem enormes proporções.

Podemos começar agora. Com pequenas atitudes de cada um, surgirá um lindo horizonte de recuperação. Escolher melhor nossos alimentos, fugir dos produtos que danificaram a natureza em algum momento da sua produção. Praticar a reciclagem, economizar água, plantar o verde por onde passar. Andar mais a pé ou de bicicleta, não jogar lixo no chão, ou seja, ser um autêntico cidadão. Até atingirmos o nível de confrontar de peito aberto àqueles que têm o poder destrutivo em suas mãos, empresários insanos e governos sem aptidão.



CLODOALDO CLAY NUNES

13.03.2007

Nenhum comentário: