RECOMENDE!

sábado, março 03, 2007

SALMO CINCO

Por Pr. Ariovaldo Ramos
O que mais chama atenção nesse salmo de Davi é como ele expõe seu coração em relação aos seus adversários sem se fazer de vítima. Davi expõe a Deus o que realmente está se passando. E essa é a primeira lição que o livro de Salmos nos ensina: Davi abre o coração sem medo de dizer o que há ali para ser dito. Até porque Deus já sabe de tudo. Nós é que precisamos saber. Nós é que precisamos nos expor. Deus já sabe de todas as coisas. Não temos que esconder nada dele. Aliás, não podemos fazer isso pois, Ele é Senhor que conhece o que é mais oculto. A beleza desse salmo é esta abertura de coração. Pois, muitas vezes, sobe ao nosso coração coisas que não queremos dizer, mas este salmo nos ensina que a melhor forma de resolvermos é falando com Deus, sendo transparentes para com Ele, dizendo tudo o que está se passando dentro de nós. Porque, se não dissermos a Deus, um dia Ele irá nos corrigir. Este salmo ensina, também, que só há louvor quando este sai do coração. Ainda que não seja o melhor, tem que ser verdadeiro. O texto não diz que temos que ser bonzinhos , mas verdadeiros. Porque, bons, Deus já sabe que não somos. Este salmo nos diz que temos que ter noção dos nossos erros, dos nossos pecados, e que não podemos fazer justiça com as nossas próprias mãos. O salmo 5 nos ajuda a compreender que um dia seremos julgados, por pior que seja a nossa história e que nós mesmos seremos culpados. A beleza do Juízo de Deus não está no fato de que Ele amedronta os homens com sua justiça e, sim, que cada indivíduo é responsável pela sua própria história, decisões, pela sua vida. Porque, só seres responsáveis podem ser julgados. E não temos como fugir dessa existencial característica: o homem é um ser que escolhe. Mesmo que estejamos diante da morte a escolha para morrer é nossa. Naquele momento, fica claro, diante todos os seres vivos que, apesar de subjugados pela circunstância, os senhores da nossa história somos nós mesmos. Um exemplo disso, na Bíblia, são as palavras de Deus a Caim: "o pecado jaz à porta, cabe a ti dominá-lo”(Gn 4.6). Pelo ponto de vista das Escrituras, há pelo menos um momento em que cada pessoa se torna responsável. O equilíbrio da sabedoria bíblica é esse: sempre há dois lados. Ou seja, temos as pressões externas, internas, históricas. Temos aquelas que vêm da sociedade, etc. Mas, a ultima nota sempre fará de nós um sujeito: pois seja o que for que façamos, em algum momento ttivemos a chance de uma escolha. Essa é a angústia das Escrituras, porque de um lado temos a liberdade humana e de outro lado a soberania de Deus. O interessante é constatar que o meu desespero e a minha angústia não muda o status de Deus e nem a minha reverência a Ele. Pois, todo ser humano é culpado pelo que faz. Portanto, é melhor falar com Deus do que calar com angústia no coração. Porque Deus ouve, responde e cura...

Nenhum comentário: