RECOMENDE!

terça-feira, maio 01, 2007

livra-nos do mal...

A oração do Pai Nosso é, antes de ser uma prece, uma confissão de fé. Um rabino tinha uma confissão escrita como uma oração que sintetizava sua teologia. Isso é o que provavelmente apresentou Jesus quando lhe perguntaram como deveriam orar.E Jesus entende que o Pai nos livra do mal. O mal tem variadas formas e ataques e pelo menos de quatro destas formas entendo que o Pai nos livra:
1. Ele nos livra da maldade – do mal praticado contra nós de maneira direta e indireta. Tal livramento não se fundamenta na imunidade contra o mal, mas em que qualquer maldade apenas tem o poder de nos afetar fisicamente, mas jamais tem o poder inevitável de nos afetar na alma. Podemos resistir ao mal, e não permitir que ele faça seu trabalho além do corpo e fazemos isso quando acreditamos que em cada momento de nossa história estamos protegidos pelo Pai e que mesmo afetados pela maldade, Ele utiliza toda experiência para o nosso bem, para nos fazer mais parecidos com Jesus [Romanos 8.28-39].
2. Ele nos livra do maldoso – das pessoas que praticam o mal contra nós. Podemos orar para que em nosso caminho encontremos pessoas boas e que as más sejam afastadas de nossos lares, de nossas vidas. Devemos romper relacionamento com os maldosos, porque enquanto estamos presos ou somos aliados dos maldosos, o mal pode nos atingir.
3. Ele nos livra do maléfico – daquilo que faz mal a nós, no corpo e na alma. Podemos nos libertar de vícios e de comportamentos que nos fazem mal.
4. Ele nos livra do Malígno – do Diabo. O perigo é descrermos do Diabo ou crermos que ele tem mais poder do que realmente tem. A Bíblia fala de sua existência, mas também fala que ele foi humilhado na cruz e vencido de uma vez por todas na ressurreição de Cristo [Colossenses 2]. Seu poder hoje consiste na mentira que se baseia na culpa e no medo. Ele tenta nos afastar de Deus através de uma consciência culpada, mas devemos crer que nossa dívida foi paga inteiramente por Jesus. Ele tenta nos amedrontar, inclusive com medos que não encontram qualquer fundamento.Estamos libertos e precisamos aceitar a libertação operando em nossa vida, orando e confessando que sabemos que o Pai nos livra do poder da maldade, do maldoso, do maléfico e do Malígno. Resistam ao mal em todas as suas expressões e ele fugirá de vocês.
© 2005 Alexandre Robles

Nenhum comentário: