RECOMENDE!

domingo, julho 01, 2007

IMITAÇÃO DE POETA

É bom ficar inerte!
Deixar o pensamento fluir...
A respiração sentir,
à espera da criação
da obra na nossa mão.
E de repente nasce!
Um traço feito poema...
Sem pretensão ou esquema,
desata a sair a tinta do ventre...
da minha pena!
É a minha mais pequena...
Não se compara a Camões,
dou apenas trambolhões
ao tentar a grande agrura
de escrever algo que valha...
Muito de mim insegura,
acabo cometendo a falha
de pensar que consegui!
E o que faço ao que li?
Muitas vezes amachuco
e ao caixote, pois então...
E de novo recomeço!
Pois ser poeta tem preço...
e mesmo que eu não seja,
a minha alma assim almeja!
Perdoem-me a pretensão...
Direi apenas que sou,
não uma Fénix, mas um grou
a gritar com emoção.
por Sindarin.

Nenhum comentário: