RECOMENDE!

sexta-feira, agosto 17, 2007

O melhor recanto, a igrejinha.

Magnífico lugar. Primeiro porque é alto, sempre um lugar alto traz visões espetaculares, bons ventos e uma enorme disposição para meditar, refletir e namorar.

De lá dá pra ver boa parte do Centro de Ribeirão Pires, uma cidade fria e com uma linda cara de interior. Só não me cativa mais porque é fria, mas quando há alguém para compartilhar o friozinho se torna mais agradável. Juntos, o frio é um convite ao abraço, aos beijos e alguns amassos. Também é um convite para o vinho, o café e o pastel. Aliás, junto com quem você gosta até o expresso para o inferno se torna um espetáculo. Este é um dos problemas em viver embriagado pela paixão. Com a razão embriagada perdemos o senso de direção.

Voltando para a igrejinha onde a tranqüilidade impera. Com a liberdade dos ventos temos que repreender nossos desejos, se deixarmos ele vai junto com a emocionante euforia. Como a maravilhosa bandeira do Brasil que tremula intensamente no topo do mastro criando um excelente cenário fotográfico.

São vários os lugares que podem receber o titulo de preferido. Mas o meu é na curva da escadinha. Sentado no corrimão tenho a linda vista da cidade e mais, a vista de quem entra ou quem sai, também há três saídas emergênciais. E o melhor, ali quem corta não é o vento, são os sentimentos que ferem as consciências com profundas cicatrizes para marcar por toda existência.

Lá é tão distante deste mundo que o Kronos, deus do tempo para os gregos, não existe. Ou seja, lá ele não sobe, mas com certeza o encontramos na descida e às vezes furioso. A preocupação ou a ansiedade também se dissipam neste alto monte. Estas que muitas vezes se tornam deusas em nossos corações.

Talvez seja por isso que ela é chamada de Santo Antonio, como diz a voz popular, o santo casamenteiro. Mas não é a energia do Antonio, mesmo porque o religioso está morto e mortos nada fazem. A magnífica energia viva que impele a namorar, meditar e amar é a do próprio santo lugar...

CLODOALDO CLAY NUNES / 16.08.2008.

Nenhum comentário: