RECOMENDE!

domingo, setembro 09, 2007

poema budista tibetano

Que eu me torne em todos os momentos,
agora e sempre,
Um protetor para os desprotegidos,
Um guia para os que perderam o rumo,
Um navio para os que têm oceanos a cruzar,
Uma ponte para os que têm rios a atravessar,
Um santuário para os que estão em perigo,
Uma lâmpada para os que não têm luz,
Um refúgio para os que não têm abrigo
E um servidor para todos os necessitados.
(Gyatso, 2000)

Nenhum comentário: