RECOMENDE!

quarta-feira, outubro 03, 2007

OS 7 HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES

RESUMO DO LIVRO DE STEPHEN COVEY
Em sua abordagem inicial o autor ressalta a dificuldade passada por um de seus filhos na escola, um menino imaturo que ia mal nos estudos, esportes. Ele e sua esposa tentavam dar apoio, incentivando-o em tudo, mas de nada adiantava. Perceberam que se quisessem mudar a situação, eles precisariam mudar primeiro, mudando a percepção.
Outro ponto abordado foi o das duas figuras, a velha senhora e a bela moça. Cada um de nós tem tendência para pensar que vê as coisas como elas são, objetivamente. Mas não é bem assim, vemos o mundo, não como ele é, mas como fomos condicionados a vê-lo.
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes abrangem a maioria dos princípios fundamentais da eficácia humana. Estes hábitos são básicos, primários. Eles representam a interiorização dos princípios corretos nos quais o sucesso e a felicidade duradoura se baseiam.
Dentro de uma visão geral dos 7 hábitos, um hábito é definido como a interseção entre o conhecimento (o que fazer e o porquê), a habilidade (como fazer) e o desejo (o querer fazer).


VITÓRIA PARTICULAR

HÁBITO 1- SEJA PROATIVO.

A palavra proatividade implica muito mais do que tomar a iniciativa. Implica que nós, como seres humanos, somos responsáveis por nossas próprias vidas. Nosso comportamento resulta de decisões tomadas, e não das condições externas. Temos a capacidade de subordinar os sentimentos aos valores. Possuímos iniciativa e responsabilidade suficiente para fazer com que as coisas aconteçam.
As pessoas reativas são afetadas somente pelo ambiente físico. Se o tempo está bom, elas se sentem bem. Caso contrário, mudam a atitude e a performance. As pessoas proativas carregam o tempo dentro de si. Faça chuva ou faça sol, não interessa, elas avançam graças a seus valores. E, se um de seus valores é realizar um trabalho de qualidade, ela não depende do tempo estar assim ou assado.
As pessoas reativas também são afetadas pelo ambiente social, pelo “tempo social”. Quando as pessoas a tratam bem, sentem-se bem. Quando acontece o contrário, assumem uma postura defensiva ou protetora. As pessoas reativas constroem sua vida emocional em torno do comportamento dos outros, permitindo que a fraqueza alheia as controle. A capacidade de subordinar um impulso a um valor é a essência de uma pessoa proativa. Os reativos são levados pelos sentimentos, circunstâncias, condições e ambientes. Os proativos são guiados por seus valores, cuidadosamente pensados, selecionados e interiorizados.
Tomar a iniciativa não significa ser agressivo, insistente ou chato, e sim reconhecer a responsabilidade de fazer com que as coisas aconteçam.

Linguagem Reativa Linguagem Proativa
Não há nada que eu possa fazer. Vamos procurar alternativas.
Sou assim e pronto. Posso tomar outra atitude.
Ela me deixa louco. Posso controlar meus sentimentos.
Eles nunca vão aceitar isso. Vou buscar uma apresentação eficaz.
Tenho de fazer isso. Preciso achar a resposta apropriada.
Não posso. Eu escolho.
Eu preciso. Eu prefiro.
Ah, se eu pudesse... Eu vou fazer.

As pessoas proativas concentram seus esforços no Círculo de Influência. Elas mexem com as coisas que podem modificar. A natureza de sua energia é positiva, engrandecedora e ampla, o que leva ao aumento do Círculo de Influência.
As pessoas reativas, por outro lado, concentram os esforços no Círculo de Preocupação. Seu foco recai na fraqueza dos outros, nos problemas do meio ambiente, nas circunstâncias que fogem a seu controle e resultam em atitudes acusatórias e lamentações, linguagem reativa e postura de eterna vítima. A energia negativa gerada por esta postura, somada à negligência com relação aos setores em que poderiam atuar, provoca o encolhimento do Círculo de Influência.
Uma das formas de se determinar em que círculo nossa preocupação se encontra é distinguir entre o ser e o ter. O círculo de preocupação está cheio de ter.
“Se eu tivesse filhos obedientes...”
“Se eu tivesse mais tempo para mim...”
O círculo de Influência está cheio de ser: Eu posso ser mais paciente, ser mas sábio, ser mais carinhoso. O foco dirige-se para o caráter.


HÁBITO 2- COMECE COM O OBJETIVO EM MENTE.

Cada momento de nossas vidas pode ser analisado dentro do contexto geral daquilo que realmente é mais importante para nós. Ao manter este objetivo claro na mente, podemos ficar certo de que qualquer coisa feita em um dia determinado não viola o critério que definimos como tendo importância suprema, e de que cada dias de nossas vidas contribuiu de modo significativo para a visão que temos de nossas vidas como um todo.
Começar com um objetivo em mente significa começarmos tendo uma compreensão clara do destino. Significa saber para onde estamos seguindo, de modo a compreendermos melhor onde estamos agora, e darmos passos sempre na direção correta.
“Comece com o objetivo em mente” se baseia no princípio de que as coisas são criadas duas vezes. Há uma criação mental ou inicial, e uma criação física, ou segunda criação, em todas as coisas. Por exemplo, a construção de uma casa, que é criada detalhe por detalhe, antes mesmo de martelar o primeiro prego. Depois é transformada em planta e se começa a planejar a construção. Tudo isso se faz antes de tocar no solo. Caso contrário, na segunda criação, a criação física, se precisará gastar uma fortuna fazendo modificações, o que dobrará o preço da casa.
A forma mais eficaz para começar com o objetivo em mente é desenvolver uma missão pessoal, filosofia ou credo. Ele se encontra naquilo que a pessoa deseja ser (caráter) e fazer (contribuições e conquistas), e nos valores ou princípios nos quais o ser e o fazer estão fundados. Uma vez que cada indivíduo é único, uma missão pessoal irá refletir sua unicidade, tanto na forma quanto no conteúdo.
Para escrever uma missão pessoal, precisamos começar pelo centro do Círculo de Influência, o centro no qual residem nossos paradigmas mais básicos, as lentes que usamos para observar o mundo. O que estiver no centro de nossa vida será a fonte de nossa segurança, orientação, sabedoria e poder.
A auto consciência nos leva a examinar nossos próprios pensamentos. Isso é particularmente útil para a criação de uma missão pessoal porque os dons humanos específicos que nos permitem praticar esse hábito, imaginação e consciência, são funções primária do lado direito do cérebro. Compreender como lidar com esta capacidade do cérebro direito aumenta grandemente nossa habilidade de primeira criação.
Quanto mais somos capazes de aproveitar a criatividade do cérebro direito, mais seremos capazes de visualizar, sintetizar e transcender o tempo e as circunstância presentes, de projetar um quadro holístico daquilo que desejamos ser e fazer na vida.
A liderança pessoal não é uma experiência isolada. Ela não começa e termina com a elaboração de uma missão pessoal. Pelo contrário, trata-se de um processo contínuo da óptica e dos valores que se encontram a sua frente, e de adequação da vida a estas coisas tão importantes.
Um dos maiores problemas que surgem quando as pessoas lutam para se tornar eficazes na vida é o fato de não pensar de modo suficientemente abrangente. Elas perdem o senso de proporção, o equilíbrio, a ecologia necessária para uma vida eficaz. Elas podem ser consumadas pelo trabalho e negligenciar a saúde do corpo. Em nome do sucesso profissional, elas podem deixar de lado os relacionamentos mais preciosos de suas vidas.
Muitas famílias são administradas na base da crise, humor de momento e alegrias passageiras, não em princípios sólidos. Os sintomas aparecem sempre que as tensões e pressões crescem: as pessoas se tornam cínicas, críticas, silenciosas, descontroladas e histéricas. As crianças que observam este tipo de comportamento crescem pensando que a única forma de resolver os problemas é por meio de brigas e afastamento.
O âmago de cada família é tudo aquilo que não muda nunca, que sempre estará lá, visões e valores compartilhados. Ao escrever uma missão familiar, você estará dando expressão a esta base verdadeira.
As declarações de missão também são vitais para organizações bem-sucedida. E para alcançar a eficácia, a declaração precisa vir da base da organização. Todos devem participar de modo significativo, não somente os altos escalões do planejamento estratégico, mas todos.

HÁBITO 3- PRIMEIRO O MAIS IMPORTANTE.

É a segunda criação, a elaboração física. É a realização, a transformação em realidade, a emergência natural dos dois primeiros hábitos. Traduz-se por organizar e executar conforme as prioridades. É uma atuação no dia-a-dia, a cada segundo.
A matriz de gerenciamento do tempo está dividida em quadrantes:
O quadrante I é importante e urgente e tem por atividade: crises, problemas urgentes, projetos com data marcada. Os resultados são: estresse, esgotamento, administração de crises e sempre apagando incêndio.
O quadrante II é importante e não urgente e tem por atividades: prevenção, desenvolvimento de relacionamentos, identificação de novas oportunidades, planejamento e recreação. Os resultados são: visão, perspectiva, equilíbrio, disciplina, controle e poucas crises.
O quadrante III é não importante e urgente e tem por atividades: interrupções, telefone, relatórios, correspondência, questões urgentes próximas, atividades populares. Os resultados são: foco no curto prazo, administração de crises, caráter e reputação de camaleão, considera planos e metas inúteis, faz papel de vítima, não controla a vida e relacionamentos superficiais ou rompidos.
O quadrante IV é não importante e não urgente e tem por atividades : detalhes, pequenas tarefas, correspondência, perda de tempo, atividades agradáveis. Os resultados são: total irresponsabilidade, demissão dos empregos, dependência de outros ou instituições para os itens básicos.
Os dois fatores que definem uma atividade são urgente e importante. Urgente significa que exige nossa atenção imediata. É “agora”! As coisas urgentes se impõe a nós. Um telefone que toca é urgente. A maioria das pessoas não consegue admitir a hipótese de simplesmente deixar o telefone tocando. A importância, por outro lado, tem a ver com resultados. Se algo é importante, contribui para nossa missão, nossos valores e metas prioritárias. Nós reagimos a questões urgentes. As questões importantes que não são tão urgentes exigem mais iniciativa, mais proatividade. Precisamos agir para aproveitar as oportunidades, para fazer com as coisas aconteçam .
O objetivo da administração quadrante II é conduzir a vida com eficácia, a partir de um centro de princípios sólidos, e de um conhecimento da missão pessoal, com foco no importante bem como no urgente, dentro de um quadro de manutenção do equilíbrio entre o aumento da produtividade e o aumento da nossa capacidade de produção.





VITÓRIA PÚBLICA

HÁBITO 4- PENSE EM GANHA/GANHA.

É um estado de espírito que busca constantemente o benefício mútuo em todas as interações humanas. Não se trata do meu jeito ou do seu jeito, e sim de um jeito melhor, superior.
Os seis paradigmas da interação humana são:
Ganha/Ganha- Significa entender que os acordos e soluções são mutuamente benéficos, mutuamente satisfatórios. Todas as partes se sentem bem com a decisão, e comprometidas com o plano de ação. Ganha/Ganha vê a vida como uma cooperativa, não como um local de competição. Ele se baseia no poder ou na posição, e não nos princípios. Ganha/Ganha se baseia no paradigma de que há bastante para todos, que o sucesso de uma pessoa não se conquista com o sacrifício ou a exclusão de outra.
Ganha/Perde – Adota a abordagem autoritária: “eu sigo em frente, você fica para trás”. As pessoas Ganha/Perde são propensas a usar a posição, poder, cargo, coisas ou sua personalidade para avançar. Muita gente foi criada dentro desta mentalidade desde o nascimento. A força inicial e mais importante em ação é a família. Quando um filho é comparado com o outro, as pessoas vivem dentro do pensamento Ganha/Perde.
Perde/Ganha – É pior que Ganha/Perde, pois não tem padrões. Nada de exigências, expectativas ou visão. Pessoas que pensam em Perde/Ganha normalmente preferem conceder e concordar. Tem pouca coragem de expressar seus sentimentos e opiniões, e se intimidam facilmente com a força da referência alheia. “Sou pacífico, faço qualquer coisa para manter a paz”.
Perde/Perde – Quando duas pessoas Ganha/Perde se encontram, ou seja, dois sujeitos determinados, teimosos e egoístas interagem, o resultado é Perde/Perde. Os dois perdem e tornam-se vingativos, e querem a “revanche” ou a “vingança”, cegos para o fato de que o assassinato é suicídio, e que a vingança é uma faca de dois gumes. Também é filosofia de uma pessoa altamente dependente, sem orientação interna, que está mal e pensa que os outros também devem estar assim.
Ganha – Pessoas com uma mentalidade tipo Ganha não desejam necessariamente que outras percam. Isso é irrelevante. Só importa para elas conseguir o que pretendem.
Ganha ou nada feito – Significa basicamente que se não conseguimos encontrar uma solução mutuamente benéfica, concordamos em discordar amigavelmente. Nada feito. Nenhuma expectativa foi criada, compromissos de desempenho não foram estabelecidos.

HÁBITO 5- PROCURE PRIMEIRO COMPREENDER, DEPOIS SER COMPREENDIDO.

“Procure primeiro compreender” implica uma mudança profunda no paradigma. Tipicamente, nós procuramos primeiro que nos compreendam. A maior parte das pessoas não consegue escutar com a intenção de compreender. Elas ouvem com a intenção de retrucar. Elas estão sempre falando ou se preparando para falar. Elas filtram tudo através de seus próprios paradigmas, lêem sua autobiografia na vida das outras pessoas.
A escuta empática é a escuta com finalidade de compreender, ou seja, procura primeiro compreender. Está dentro do quadro de referências da outra pessoa. Compreende o que ela sente.
A empatia é igual a solidariedade. Esta é uma forma de concordar, uma forma de julgamento. Por vezes, é a emoção a resposta mais apropriada.
Quando você ouve com empatia o que a outra pessoa tem a dizer, está dando ar psicológico àquela pessoa. E, depois que esta necessidade vital é satisfeita, você pode se concentrar na solução dos problemas ou nos conselhos que tem a dar.
À medida que você aprende a entender profundamente as outras pessoas, vai descobrir grandes diferenças em sua percepção. Também vai começar a dar valor ao impacto que estas diferenças provocam quando as pessoas tentam trabalhar juntas em situações interdependentes.
Saber como ser compreendido é a outra metade deste hábito, e é igualmente importante para se atingir soluções tipo Ganha/Ganha. Procurar compreender exige consideração, procurar ser entendido requer coragem.
“Procure primeiro compreender , depois ser compreendido” leva a aumentar a precisão e a integridade de suas apresentações em público. E as pessoas reconhecem isso. Sabem que você está apresentando as idéias em que acredita verdadeiramente, levando em consideração todos os fatos e possibilidades, o que vai beneficiar a todos.

HÁBITO 6- CRIE SINERGIA.

Em uma definição simples, Sinergia significa, que o todo é maior que a soma das partes. Significa que a relação estabelecida entre as partes é, em si e por si, também uma parte. Não é apenas uma parte e sim a parte mais catalítica, amais poderosa, mais unificadora e mais excitante. O processo criativo também é a parte mais terrível, porque você não sabe o que vai acontecer ou onde chegará.
A sinergia está em toda a parte , na natureza. Se você colocar duas plantas lado a lado, as raízes se misturam e melhoram a qualidade do solo, de modo que as duas plantas crescem melhor do que estivessem separadas. Se você colocar duas peças de madeiras juntas, elas agüentaram muito mais o peso suportado do que cada uma individualmente. Um mais um é três ou mais.
Quando você se comunica sinergicamente, está simplesmente abrindo seu coração, sua mente e modo de expressão para novas possibilidades, novas alternativas e novas opções.
A sinergia é excitante. A criatividade é excitante. É fenomenal o que a mente aberta e a comunicação conseguem realizar. As possibilidades de um ganho realmente significativo, de um avanço significativo, são tão reais que vale a pena correr os riscos que esta condição apresenta
Quanta energia negativa se despende normalmente quando as pessoas tentam resolver seus problemas ou tomar decisões em uma realidade interdependente? Quanto tempo se perde em apontar os pecados alheios, em politicagem, rivalidades, conflitos interpessoais, medidas preventivas de proteção, maquinações e adivinhações? Equivale a tentar dirigir em uma estrada com o pé no acelerador e outro no freio! Em vez de tirar o pé do freio, a maior parte das pessoas pisa mais fundo no acelerador. Tentam aplicar mais pressão, mais eloqüência, a mais informações lógicas para reforçar sua posição.
Valorizar as diferenças é a essência da sinergia, as diferenças mentais, emocionais e psicológicas entre as pessoas. E a chave para valorizar as diferenças é perceber que todas as pessoas vêem o mundo não como ele é, mas como elas são.
Em situação interdependente, a sinergia é particularmente poderosa quando se lida com as forças negativas que trabalham contra o crescimento e a mudança.
A ecologia é uma palavra que basicamente define o sinergismo na natureza, tudo está relacionado com todas as coisas. É no relacionamento que os poderes criativos se maximizam, assim como o poder real destes 7 Hábitos está na relação entre eles, e não apenas nos hábitos tomados separadamente. O relacionamento entre as partes também inclui o poder de criar uma cultura sinérgica dentro da família e da organização. Quanto mais genuíno for o envolvimento, quanto mais sincera e voluntária a participação na análise e solução dos problemas, maior a liberação de criatividade individual e seu comprometimento com o que está sendo criado.


RENOVAÇÃO

HÁBITO 7- AFINE O INSTRUMENTO.

Representa a capacidade de produção pessoal. Preserva e melhora seu bem mais precioso, você mesmo. Renova as quatro dimensões de sua natureza: física, espiritual, mental e social/emocional.
A dimensão física trata de cuidar eficazmente de nosso corpo físico, comer alimentos adequados, descansar e relaxar o suficiente e praticar exercícios regularmente.
A dimensão espiritual é o seu centro, seu íntimo, seu comprometimento com o sistema de valores. Trata-se de uma área muito pessoal da vida, de importância suprema. Ela se nutre das fontes que o inspiram e o elevam, vinculando-os às verdades eternas de toda a humanidade. Cada pessoa faz isso de forma muito, muito diferente.
Grande parte de nosso desenvolvimento mental e aprimoramento da disciplina vem da educação formal. Mas assim que deixamos a disciplina externa da escola, muitos de nós permitimos que as mentes se atrofiem. Não lemos mais coisas sérias, não exploramos novos temas em profundidades, fora de nosso campo de ação, não pensamos analiticamente, não escrevemos, pelo menos não criticamente, ou de um modo que teste nossa habilidade de expressão em uma linguagem clara, concisa. Em vez disso, passamos o tempo vendo tevê.
A dimensão social e a dimensão emocional de nossas vidas estão vinculadas porque nossa vida emocional é principal, mas não exclusivamente, desenvolvida no relacionamento com os outros, e através dele se manifesta. Renovar a dimensão social/emocional não exige tempo, pelo menos não no sentido que a renovação das outras dimensões exige. Podemos conseguir isso dentro de nossas interações normais cotidianas com as pessoas. Mas isto requer treinamento, sem dúvida. Teremos de incentivar a nós mesmos, porque muitos de nós ainda não atingimos o nível da Vitória Particular e os requisitos da Vitória Pública.
A maioria das pessoas resulta do espelho social, sendo influenciada pelas opiniões, idéias e paradigmas das pessoas a sua volta.
O processo de auto-renovação precisa incluir a renovação equilibrada em todas as quatro dimensões de nossa natureza. Apesar de renovação em cada uma das dimensões ser importante, ela somente se tornará eficaz por completo quando lidarmos com todas as dimensões de um modo sábio e equilibrado. Negligenciar qualquer uma das áreas provoca um impacto negativo nas outras.
A renovação equilibrada é sinérgica ao máximo. As coisas que você faz para afinar o instrumento em uma dimensão causam um impacto positivo nas outras dimensões, porque elas estão estreitamente interligadas. Conforme você melhora uma dimensão, aumenta sua habilidade também nas outras.
Quanto mais proativo você for (Hábito 1), mais eficaz será no exercício de sua liderança pessoal (Hábito 2), e no gerenciamento de sua vida (Hábito 3). Quanto mais você procura primeiro compreender (Hábito 5), mais eficaz será na busca de soluções sinérgicas para Ganha/Ganha (Hábitos 4 e 6). Quanto mais você se aprimora nos hábitos que levam a interdependência (Hábitos 1, 2 e 3), mais eficaz será em situações interdependentes (Hábitos 4, 5 e 6). E a renovação (Hábito 7) é o processo de revitalizar todos os outros hábitos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Vocês não tem noção da importância que o resumo deste livro fez pra minha vida! Vou adquirir este exemplar o mais breve possível, pois se um dia for possível eu tentar esquece-lo, terei sempre em mãos para relembrá-lo. Obrigado!

Jessika Kinzkowski disse...

Obrigada! Resumo excelente!