RECOMENDE!

quarta-feira, novembro 28, 2007

"A vida humana"

André Comte-Sponville
"Em razão da fraqueza de nossa natureza", escreve Espinosa, "é necessário amar algum objeto e nos unir a ele para existir". Somos fracos demais para vivermos sós. Fracos demais para nos bastarmos. E mesmo egoístas demais para sê-lo absolutamente. Amar apenas a si? Isso seria amputar-se do mundo e da humanidade, fechar-se no próprio espelho, na própria miséria, nas próprias angústias.Não amar nada? Isso seria viver sem alegria, sem prazer, sem desejo - seria já estar morto. É o que nossos médicos chamam de melancolia, no sentido psiquiátrico do termo (não mais "a felicidade de estar triste", que faz parte da condição humana, mas a "perda da capacidade de amar", como dizia Freud, que conduz ao nada), não tanto uma filosofia, ainda que niilista, mas uma patologia. Doença mortal, urgência psiquiátrica: o suicídio, se não houver tratamento, é um perigo a curto prazo. Não se pode viver sem amor, e essa fraqueza é nossa força, e essa força - o poder de amar: o desejo, o conatus, a alegria - é a única fraqueza que vale.
André Comte-Sponville em "A vida humana"
Editora Martins Fontes.

DROGAS


A fé cristã nos primeiros séculos.

"Tomada em conjunto, nenhuma religião mais atraente surgira na humanidade. Oferecia-se sem restrições a todos os homens, a todas as classes e povos. Não se limitava a uma só nação, como o judaismo, nem só aos homens livres, como os cultos oficiais da Grécia e de Roma. Fazendo todos os homens herdeiros da vitória de Cristo sobre a morte, o cristianismo anunciou a igualdade fundamental de todos os homens, e fez com que as diferenças sociais não passassem de coisas terrenas e temporárias. Para os miseráveis, aleijados, aflitos, desalentados e humilhados trouxe a nova virtude da compaixão e uma nobilitante dignidade; deu-lhes a inspiradora figura, e o drama e a moral de Cristo, estimulou a vida com a esperança do advento do Reino do Céu e a felicidade eterna além-túmulo. Mesmo aos maiores pecadores prometeu perdão e plena admissão na comunidade dos salvos. Aos embaraçados com o insolúvel problema da origem e do destino, do mal e da dor, ofereceu um sitema de doutrinas divinamente reveladas, no qual as almas singelas podem encontrar repouso mental...No vazio moral de um paganismo moribundo, na frieza do estoicismo e na corrupção do epicurismo em um mundo farto de brutalidade, crueldade, opressão e caos sexual, em um império pacificado que parecia já não necessitar das virtudes viris ou de deuses da guerra, o cristianismo trouxe uma nova moral de fraternidade, bondade, decência e paz".
Will Durant em História da Civilização - César e Cristo

BELAS IMAGENS



PEQUENO DESENTENDIMENTO


segunda-feira, novembro 26, 2007

VISUAL DE BICHEIRO


QUASE

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase amou não amou...
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver em cima do muro.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna;ou melhor não me pergunto, contesto!
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença de tantos "bom dia"!
Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris.... cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si...
Para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência...
Porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão;
Pros fracassos, chance;
Pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
autoria desconhecida

JUNG

"O homem que apenas crê e não procura refletir esquece-se de que é alguém constantemente exposto à dúvida, seu mais íntimo inimigo, pois onde a fé cega domina, ali também a dúvida está sempre à espreita. Para o homem que pensa, porém, a dúvida é sempre bem recebida, pois ela lhe serve de preciosíssimo degrau para um conhecimento mais perfeito e mais seguro"

domingo, novembro 25, 2007

É proibido pensar!

Procuro alguém pra resolver meu problema
Pois não consigo me encaixar nesse esquema
São sempre variações do mesmo tema
Meras repetições

A extravagância vem de todos os lados
E faz chover profetas apaixonados
Morrendo em pé, rompendo a fé dos cansados
que ouvem suas canções
Estar de bem com a vida é muito mais que renascer
Deus já me deu sua Palavra
e é por ela que ainda guio o meu viver

Reconstruindo o que Jesus derrubou
Recosturando o véu que a cruz já rasgou
Ressucitando a lei, pisando na graça, negociando com Deus

No show da fé milagre é tão natural
Que até pregar com a mesma voz é normal
Nesse evangeliquês universal
Se apossando dos céus

Estão distante do trono, caçadores de Deus ao som de um shofar
E mais um ídolo importado dita as regras para nos escravizar:
É proibido pensar! É proibido pensar!

letra de "É proibido pensar",
uma das músicas do novo CD de João Alexandre.
OUÇA A MÚSICA

Esterco à venda

"A América está exportando para os mais pobres da Ásia e da África um cardápio de benefícios. Isto não é o evangelho. Pessoas às quais deveríamos dar nosso dinheiro, nosso tempo e nossa vida, em vez de vender a eles um monte de esterco que insistem em chamar de ‘evangelho’”
(trecho de mensagem pregada pelo escritor e teólogo John Piper).

24HS DE NAVIO - BELÉM-MACAPÁ


Ser transparente


Às vezes, fico me perguntando porque é tão difícil ser transparente...Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros. Mas ser transparente é muito mais do que isso. É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que sente...
Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as máscaras, baixar as armas, destruir muros...
Ser transparente é permitir que a doçura aflore, transborde...
Mas, infelizmente, a maioria decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza reveladora da fragilidade humana. Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam da alma...
Preferimos nos perder numa busca por respostas a simplesmente admitir que não sabemos nada e que temos medo! Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção. E assim, vamos nos afundando em falsas palavras, atitudes, em falsos sentimentos...
Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar...
A doçura, a compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós...
Uma saudade desesperada de nós mesmos, daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar...
Porque aprendemos que isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro! Quando, na verdade, agir com o coração, poupa a dor...
Sugiro que deixemos explodir toda a doçura! Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis...
Chega de tentar controlar tanto....
Responder tanto...
Competir tanto...
Tente simplesmente viver, sentir e amar.
Texto de Rosana Braga

JOCUM




Aprendizagem e esquecimentos

A distância pode causar saudade, mas nunca o esquecimento...
De uma forma positiva, aprendi que não importa o que aconteça ou quão ruim pareça o dia de hoje, a vida continua, e amanhã será melhor.
Aprendi que se pode conhecer bem uma pessoa, pela forma como ela lida com três coisas: um dia chuvoso, uma bagagem perdida e os fios das luzes de uma árvore de Natal que se embaraçaram.
Aprendi que, não importa o tipo de relacionamento que se tenha com seus pais, você sentirá falta deles quando partirem.
Aprendi que "saber ganhar" a vida não é a mesma coisa que "saber viver".
Aprendi que a vida, às vezes, nos dá uma segunda chance.
Aprendi que viver não é só receber, é também dar.
Aprendi que se você procurar a felicidade, vai se iludir. Mas, se focalizar a atenção na família, nos amigos, nas necessidades dos outros, no trabalho e procurar fazer o melhor, a felicidade vai encontrá-lo.
Aprendi que sempre que decido algo com o coração aberto, geralmente acerto.
Aprendi que diariamente preciso alcançar e tocar alguém. As pessoas gostam de um toque humano, de segurar na mão, de receber um abraço afetuoso ou simplesmente de um tapinha amigável nas costas.
Aprendi que ainda tenho muito o que aprender.
As pessoas se esquecerão do que você disse...
Esquecerão o que você fez....
Mas nunca esquecerão como você as tratou.
desconheço a autoria

AI,AI,AI


SAUDADE


KANASHIRO, LEÍRSON E FERNANDO
QUE SAUDADE DESSES FEDIDOS!!

MATA A COBRA E MOSTRA A COBRA


PAI E MÃE




EU E MEU AVÔ PATERNO




O PONTO DE ÔNIBUS



Quem nunca teve a oportunidade de esperar um ônibus no ponto? Até mesmo os mais afortunados já tiveram esta experiência, ainda que seja no tempo em que não podiam dirigir. Comigo é assim, trem e ônibus só quando não tenho o que dirigir. Odeio transporte público, não pelo público, mas pelo transporte precário e caro oferecido pelo o algoz do povo, o governo.
Voltando para o ponto, aguardamos nosso ônibus, cada um sabe do seu destino e do seu caminho. Neste ponto passam muitos ônibus que vão para vários lugares. Cada pessoa fica atenta esperando o seu chegar, mas em muitos casos, outros passam por lá. Contudo temos a questão da afinidade, da simpatia e da diversidade. O ônibus pode não ser o mais indicado, entretanto torna o mais propicio por causa do aconchego e do desejo.
A vida e nossas oportunidades são o ponto e os ônibus de nossa existência. Muitos dizem que sorte é estar no lugar certo, na hora certa. Existem ônibus que passam pelo ponto onde estamos que nos levaria a lugares distantes ou diferentes que não passam com tanta freqüência ou alguns passam uma vez somente, como aquele ônibus de excursão da formatura dos adolescentes, ônibus que nunca mais vai partir para este mesmo fim. Foi somente aquela oportunidade para aqueles jovens. Oportunidades raras também seguem esta dinâmica em nossa vida, aproveitou, muito bem, senão, mais não têm.
Outras vezes nossa expectativa de destinos nos favorece com vários tipos de ônibus, basta escolher o mais convidativo, o mais agradável. Você faz a escolha que quiser. Entretanto existem pessoas que não têm total autonomia na escolha do seu ônibus. Pode ser por um problema visual onde precisará da ajuda de outros para lhe dizer qual é o certo. Ou podem estar presas com o tempo, afazeres ou divertimento. Pois no ponto encontramos muitos tipos de pessoas que podem desviar a nossa atenção do ônibus. E todos sabem que ônibus têm horários que não podem atrasar, por isso não podem esperar.
No ponto de nossas vidas passam vários ônibus cheios de oportunidades. Sejam elas relacionadas a trabalho, amigos, aprendizado, ou qualquer outro tipo de oportunidades que levaria nossas vidas a tomar outros trajetos que poderia ser melhores ou piores. Pois muitos pegam ônibus errados ou descem em pontos errados. Tudo é questão de um atento discernimento. Contudo mais frustrante do que pegar o ônibus errado é ter a oportunidade de pegar o certo e deixá-lo passar.
No ponto de oportunidades da minha vida já deixei muitos ônibus passarem dos quais hoje me arrependo mais do que os errados que peguei. Talvez se tivesse feito SENAI quando era para fazer poderia estar bem empregado hoje. Se tivesse feito Tiro de Guerra teria um outro ciclo de amizades e de recordações. Mas a vida é assim, é feita de escolhas. Muitas vezes fiquei no ponto comendo moscas, outras embarquei em viagens que só eu e Deus sabe da companhia, do trajeto e do destino. Mas do que interessa o ‘se’? Se eu fizesse tais coisas, se eu escolhesse isto ou aquilo. De nada importa tudo isto. É tudo fantasia subjetiva. O importante agora é estar atento para que ônibus pegar, qual oportunidade agarrar. O dia da vida está findando e logo mais os ônibus vão parar, por isso é bom não vacilar e a melhor oportunidade abraçar. No anoitecer da vida os ônibus se tornam escassos, tornam-se perigosos, pois não sabemos quem possamos encontrar.
Oportunidades são ônibus que muda nossas vidas de ares e de lugares, para isto temos que estar abertos, determinados e atentos para qual ônibus pegar e para isto basta o indicador levantar.

Clodoaldo Clay Nunes
24.11.2007

MOSCAS DOIDAS







DEGAVAR


Presentes no Mundo

Por Ed René Kivitz
"Prega o evangelho durante todo o tempo: se necessário, use as palavras" (São Francisco de Assis)
Cristãos devem fazer diferença. Não fosse a presença cristã, o mundo estaria não apenas em decadência ainda mais acelerada, como também, absolutamente impossibilitado de conhecer a Deus. No Sermão do Monte o Senhor Jesus oferece as bases do testemunho cristão no mundo. (Mt 5.14-16). A finalidade do testemunho é a glória de Deus: "para que glorifiquem a vosso Pai que está nos céus". O conteúdo do testemunho são as boas obras: "para que vejam as vossas boas obras". Mas o pré-requisito para o testemunho é a luz : "assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus".
O conceito cristão de boas obras é muito abrangente. Paulo escreve a Tito afirmando que o Senhor Jesus "se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda iniqüidade, e purificar para si um povo todo seu, zeloso de boas obras". (Tt 2.14). O texto mais esclarecedor, entretanto, é Efésios 2.1 -10, ele diz que não somos salvos por causa de obras, mas "para as boas obras, que Deus preparou de antemão para que andássemos nelas".
"Boas obras" entram em contraste com "delitos e pecados" nos quais andávamos antes de Cristo (2.1). E este "contraste é completo. É um contraste entre dois estilos de vida (o mau e o bom) e, por trás deles, dois senhores (o diabo e Deus)", comenta John Stott em "A mensagem de Efésios",. ABU Editora, 1986. p.57). Sendo assim, "boas obras" não são apenas uma alusão à solidariedade e à caridade. "Boas obras" dizem respeito à totalidade da vida do cristão. Referem-se a tudo quanto um cristão faz: "quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus"(1Co 10.31).
Voltando ao Sermão do Monte, a leitura superficial do texto sugere que as boas obras dos cristãos são a luz que os homens vêem para que possam glorificar a Deus. O Senhor Jesus, entretanto, afirmou que os homens somente conseguiriam ver as boas obras caso a luz resplandecesse. O brilho da luz possibilita a visibilidade das boas obras.
Os cristãos é que são luz, não são as sua boas obras. O que os cristãos são, ilumina o que os cristãos fazem. O Senhor Jesus se utiliza das Bem-Aventuranças para descrever quem é o cristão. Em seguida, afirma que pessoas com aquela essência (luz) agindo no mundo (boas obras) causariam um impacto inescondível, o que resultaria em glória para Deus, que está nos céus. Em outras palavras, o que "fazer" somente resulta em glória para Deus quando iluminado pelo "ser". Essa constatação traz pelo menos três implicações para a ética cristã.
O Ser Precede o Fazer Na ética cristã, o ser precede o fazer, sob pena de que o fazer caia no vazio ou, pior, em contradição com o ser, além de ser um peso excessivo para quem faz. A ação cristã despida de caráter anterior que a qualifique é incipiente porque não é possível de ser registrada. A mensagem mais forte suplanta a mais fraca, e nesse caso, a mais forte diz respeito ao ser, de modo que o fazer sem o ser cai no vazio.
O ser precede o fazer. O cristão, portanto, deve agir tendo cuidado das intenções, do caráter e dos meios que possibilitam a ação. O cristão deve agir, mas deve antes certificar-se de que seu estilo de vida credencia sua ação e fala. A contradição entre o ser e o fazer faz lembrar a mãe que belisca a criança no colo. É a chamada "mensagem de duplo vínculo": o carinho do colo e a agressão do beliscão. A contradição entre as mensagens gera confusão psíquica e emocional. O cristão que age em desacordo com o que é lança uma mensagem difícil de ser acreditada. O ser precede o fazer.
O cristão portanto age em conseqüência de que, tal qual árvore, é fruto. A impossibilidade do mundo natural não acompanha a realidade da ação humana: laranjeiras não dão limões, mas pessoas ruins podem agir com bondade, egoístas podem doar, invejosos podem aplaudir e rancorosos podem abraçar. A violência contra si mesmo é dotada de conseqüências funestas. Quem abre mão sem antes experimentar a mansidão, por exemplo, carrega consigo um crônico sentimento de perda. O ser precede o fazer para que a ação não seja esvaziada, confundida nem pesada.
O Ser Esclarece o Fazer. Na ética cristã, o ser esclarece o fazer. Não são poucos os exemplos de ações semelhantes com repercussões desiguais. A força da mensagem está respaldada pela intensidade da militância. Martin Luther King Jr., Nelson Mandella, Malcom X, tiveram suas mensagens amplificadas pelo fato de que suas vidas estiveram e estão comprometidas com a causa esposada. A identificação solidária com pobres não vale nada na boca de teólogos de gabinete. Não é por menos que o apóstolo Paulo insistiu em ser seguido no que falou e mostrou. O evangelho não é algo para ser ouvido é para ser visto. Aprendera isso do seu Mestre, que ensinava com a autoridade peculiar, àqueles, cujas ações e palavras, são como água a jorrar do fundo do ser.
O Ser, Faz Finalmente, na ética cristã, o ser, faz. Nada mais óbvio. Quem é misericordioso age com solidariedade. Quem é pacificador aproxima pessoas. E assim por diante. O mais notável, entretanto, é que a ação genuinamente cristã é decorrente. Veja, por exemplo, que Jesus de Nazaré não apenas serviu, ele se fez servo. Sua ação que priorizava o outro, em detrimento de si mesmo, não era uma auto-violência mas uma expressão natural do ser.
São Francisco estava certo. Conseguiu interpretar o espírito iluminado cristão: "Prega o evangelho durante todo o tempo: se necessário, use as palavras".

sábado, novembro 24, 2007

TOMOU UM ROLA


É, ONTEM EU TOMEI UM E
ESTOU TUDO RALADO, HAHA!
COISAS DA VIDA
QUEM SAI NA CHUVA ESTÁ SUJEITO

Vamos aprender com o fogo?

Era uma vez um homem que trabalhava num grupo. Um dia, sem nenhum aviso deixou de participar de suas atividades. Após algumas semanas, o líder daquele grupo decidiu visitá-lo. Era uma noite muito fria. O líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor. Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas-vindas ao líder, conduziu-o à sala da lareira... e lá ficou, quieto, esperando. O líder acomodou-se mas... não disse nada. No silêncio que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno da lenha, que ardia. Passados alguns minutos, o líder examinou as brasas. Cuidadosamente selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado. Voltou então a sentar permanecendo silencioso e imóvel. O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto. Aos poucos, a chama da brasa solitária diminuía, até que houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez. Em pouco tempo o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um negro, frio e morto pedaço de carvão. Nenhuma palavra tinha sido dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois amigos. O líder, antes de se preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil, colocando-o de volta no meio do fogo. Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos carvões ardentes em torno dele. Quando o líder alcançou a porta para partir, seu anfitrião disse:
- Obrigado por sua visita e pelo belíssimo sermão. Estou voltando ao convívio do grupo.

COPA NO BRASIL


APÓSTOLO / APÓSTROFO


sexta-feira, novembro 23, 2007

CRISTÃO


23.11.2007

FALTA UM MÊS
PARA OS TRINTA E TRÊS

SÓ EXISTE HOJE




O dia do Deus da Verdade é, para o homem, o Dia Chamado Hoje.

O passado é uma lembrança.

O futuro uma fantasia.

É no Hoje que se pode verdadeiramente viver.

Além disso, o Hoje é a porta da eternidade no tempo.

Eternidade e Tempo se tocam no Momento-Hoje.

O passado é história de memórias feitas palavras, letras ou marcos. E, portanto, pertence ao tempo que deixou de ser tempo e virou recordação.

O futuro é ficção, seja construído pela esperança, pela desesperança, pela indiferença, ou mesmo pela vontade de morrer — entretanto, para o homem, é apenas um sonho, uma fantasia boa ou má. A fantasia é o estelionato do que não sendo tenta passar pelo que é.

O Dia-Hoje é fé. Sim! Ele não é ficção porque É, existe. Ora, a fé é. É Certeza. É convicção. Desse modo, somente a fé serve ao Hoje, pois o Hoje é.

A verdade é.

Deus é espírito.

Deus é.

Por isso, o encontro com Deus é Hoje, pois, o Hoje é o ponto no qual a verdade se manifesta como espírito. O espírito é. Hoje carrega espírito e verdade. Hoje, portanto, é para o homem o único dia passível de ser Dia de Deus.

Sendo Deus o Deus da Verdade, que outra relação poderia ter Ele com os homens senão no Hoje?

Afinal, por mais verdadeiro que o passado tenha sido, já não é. E por mais verdadeiro que um dia o futuro venha a ser [exato em relação ao tempo no qual era sonho no passado] — ainda assim não é nada além de especulação; pois no dia em que se tem tal certeza, o futuro já não futuro, mas presente, e, assim, já terá feito a si mesmo passado em relação a si mesmo antes de virar presente.

Portanto, passado e futuro não são. O passado por ter sido, e o futuro por ainda não ser. E quando for já não será, pois, terá se tornado passado.

O Hoje, portanto, é o único ponto no qual a verdade se manifesta.

Por isso Jesus não aceitou o passado como avalista do Hoje, e nem acatou o futuro como significação do Presente.

Foi por esta razão que Ele falou do passado com “porém” e avistou o futuro com “catástrofe”, e nem por isso deixou de verdadeiramente viver o Hoje sem saudades passadas e sem ilusões futuras.

Quem vive do passado não vive. Recordar não é viver; recordar é ter vivido.

Quem vive do futuro não vive. Projetar poder ser, mas ainda não é...; e, portanto, ainda não é vida, mas apenas uma projeção que pertence à fantasia.

A fé tem passado como esperança para hoje e tem futuro como certeza no agora. Assim, somente na fé — passado e futuro deixam de ser apenas memória e fantasia; pois, a fé atualiza tudo no Hoje, em verdade.

Por essa razão em Jesus não há destino. Afinal, que destino há se a única realidade que é, o é no Hoje?

Na fé o destino é Hoje; e, assim, se destina ao agora.

É por tal razão que para Jesus o significado de tudo está no Hoje.

Hoje é o dia. O único Dia.

O resto não é.

É — é Hoje.


Nele, nosso Hoje,


Caio

MAVERICK


CÉU


quarta-feira, novembro 21, 2007

Vamos observar os girassóis!



Nossos olhos são seletivos, nós "focalizamos" o que queremos ver e deixamos de ver o restante.Escolha focalizar o lado melhor, mais bonito, mais vibrante das coisas, assim como um girassol escolhe sempre estar virado para o sol! Você já reparou como é fácil ficar baixo astral? Baixo astral porque está chovendo, porque tem conta a pagar, porque não tem exatamente o dinheiro ou a aparência que gostaria de ter, porque ainda não encontrou o amor da sua vida, porque a pessoa que você quer e não te quer, porque... É claro que tem hora que a gente não está bem. Mas a nossa atitude deveria ser a de uma antena que tenta, ao máximo possível, pegar o lado bom da vida. Na natureza, nós temos uma antena que é assim: o girassol. O girassol se volta para onde o sol estiver. Mesmo que o sol esteja escondido atrás de uma nuvem. Nós temos de aprender a realçar o que de bom recebemos. Aprender a ampliar pequenos gestos positivos e transformá-los em grandes acontecimentos. Temos de treinar para ser girassol, que busca o sol, a vitalidade, a força, a beleza. Por que só nos preparamos para as viagens, e não para a vida, que é uma viagem? Apreciar o amor que alguém em um determinado momento dirige a você. Apreciar um sorriso luminoso de alegria de alguém que você gosta. Apreciar uma palavra amiga, que vem soar reconfortante, reanimadora. Apreciar a festa, a alegria, o sorriso. E se o mau humor voltar que a volte também a lembrança dos girassóis. Selecione o melhor deste mundo, valorize tudo o que de bonito e bom haja nele e retenha isto dentro de você. É este o segredo de uma vida melhor.

34 anos atrás


A verdadeira riqueza do ser humano

Um dia um homem que acreditava na vida após a morte, e que valorizava o ser mais que o ter, hospedou-se na bela mansão de um materialista convicto, que só pensava em dinheiro.
Depois da ceia, o anfitrião convidou o hóspede para visitar sua galeria de quadros e começou a enaltecer os seus bens materiais! Falou que o homem vale pelo que tem, pelo patrimônio que consegue acumular. Exibiu escrituras, jóias, ouro, títulos...
Depois de ouvir tudo calmamente, o hóspede falou da sua convicção de que os bens da terra não nos pertencem de fato, e que mais cedo ou mais tarde teremos que deixar tudo aqui. Argumentou que os verdadeiros valores são o afeto, o conhecimento e não as posses que são sempre passageiras. No entanto, o materialista falou com arrogância que aquilo era dele e ninguém ia tirar! Diante da teimosia, o hóspede propôs um acordo: que voltassem a falar do assunto daqui a cinqüenta anos...
- Ora, disse o dono da casa, daqui a cinqüenta anos nós já não estaremos mais aqui...
O hóspede respondeu : - Assim você entenderá que tudo isso passou pelas suas mãos mas, na verdade, nada disso lhe pertence de fato.
Vai chegar um dia em que você terá que deixar tudo aqui e partir, levando somente a sua evolução espiritual. Só então poderá avaliar se é verdadeiramente rico ou não.
O materialista, contemplando as suas obras de arte, pela primeira vez sentiu uma sombra de dúvida... - que diferença fará, daqui a cem anos, se você morou em uma mansão ou numa casa simples? - se comprou roupas em lojas sofisticadas ou num magazine? - se bebeu em taças de cristal ou numa de vidro? - se comeu em pratos finos ou numa louça simples? - que diferença isso fará daqui a cem anos? Absolutamente nenhuma ! No entanto, o que você fizer do seu tempo na terra, fará muita diferença em sua vida, não só daqui a cem anos, mas por toda a eternidade.
Você será mais feliz hoje!
desconheço a autoria

FELICIDADE


terça-feira, novembro 20, 2007

MY FATHER




LINDA MISTURA DE CORES


ACORDE PARA VENCER

Quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante. Espalhe-o. Fale de coisas boas, de sonhos, de amor. Não se lamente. Comece a sorrir mais cedo. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive o seu interior. Extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você gosta e precisa delas. Repense os seus valores. Tudo o que tem que ser feito merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Não trabalhe só pela obrigação, mas pela satisfação da missão cumprida. Transforme os seus movimentos em oportunidades. Não inveje! Admire! Sinta entusiasmo com o sucesso alheio, como se fosse o seu. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo habilidades. Só assim não terá tempo de criticar os outros. Tenha fé, acredite. Você pode tudo que quiser! Finalmente, ria das coisas à sua volta, de seus problemas, de seus erros. Ria da vida. E ame, antes de tudo a você mesmo. A gente é capaz de ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo!
por Ana Regina.

Qual é...

O dia mais belo? Hoje.
A coisa mais fácil? Equivocar-se.
O maior obstáculo? Medo.
O maior erro? Abandonar-se.
A raiz de todos os males? Egoísmo.
A distração mais bela? Trabalho. (Será?)
A pior derrota? Desalento.
Os maiores professores? Crianças.
A primeira necessidade? Comunicar-se.
O mais feliz a se fazer? Ser útil aos demais.
O maior mistério? A morte.
O pior defeito? O mau humor.
A pessoa mais perigosa? A mentirosa.
O pior sentimento ? O rancor.
O presente mais belo? O perdão.
O mais imprescindível? Orar.
O caminho mais rápido? O correto.
A sensação mais grata? A paz interior.
A expressão mais eficaz? O sorriso.
O melhor remédio? O otimismo.
A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do universo? A fé.
As pessoas mais necessárias? O Pai e os pais.
A coisa mais bela de todas? O amor.

Fita Métrica do Amor

Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade. Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto. Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês. Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou não num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhe-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes. Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho!
Autoria de Martha Medeiros.

PORTA MALAS INTERNO


Desejos

Eu desejo que desejes ser feliz de um modo possível e rápido,
Desejo que desejes uma via expressa rumo a realizações não utópicas, mas viáveis, que desejes coisas simples como um suco gelado depois de correr ou um abraço ao chegar em casa...
Desejo que desejes com discernimento e com alvos bem mirados.
Mas desejo também que desejes com audácia,
Que desejes uns sonhos descabidos
E que ao sabê-los impossíveis não os leve em grande consideração,
Mas os mantenha acesos, livres de frustração,
Desejes com fantasia e atrevimento,
Estando alerta para as casualidades e os milagres,
Para o imponderável da vida, onde os desejos secretos são atendidos.
Desejo que desejes trabalhar melhor, que desejes amar com menos amarras,
Que desejes parar de fumar, que desejes viajar para bem longe...
E desejes voltar para teu canto, desejo que desejes crescer...
E que desejes o choro e o silêncio, através deles somos puxados pra dentro,
Eu desejo que desejes ter a coragem de se enxergar mais nitidamente.
Mas desejo também que desejes uma alegria incontida,
Que desejes mais amigos, e nem precisam ser melhores amigos,
Basta que sejam bons parceiros de esporte e de mesas de bar,
Que desejes o bar tanto quanto a igreja,
Mas que o desejo pelo encontro seja sincero,
Que desejes escutar as histórias dos outros,
Que desejes acreditar nelas e desacreditar também,
Faz parte este ir-e-vir de certezas e incertezas,
Que desejes não ter tantos desejos concretos,
Que o desejo maior seja a convivência pacífica com outros que desejam outras coisas.
Desejo que desejes alguma mudança,
Uma mudança que seja necessária e que ela não te pese na alma,
Mudanças são temidas, mas não há outro combustível para essa travessia.
E desejo, principalmente,
Que desejes desejar, que te permitas desejar,
Pois o desejo é vigoroso e gratuito, o desejo é inocente,
Não reprima teus pedidos ocultos, desejo que desejes vitórias, romances, diagnósticos favoráveis, mais dinheiro e sentimentos vários,
Mas desejo, antes de tudo, que desejes, simplesmente.

Texto de Martha Medeiros

segunda-feira, novembro 19, 2007

sexta-feira, novembro 16, 2007

2 & 32




Lembrando que sou pó.

Ricardo Gondim

Agora sei que sou quebradiço como biscoito na mão de criança, efêmero como bandeirolas que se desfazem na ventania. Descobri que meu peito pode se desmanchar com qualquer chuva forte, e que não passo de um grafite na calçada, desenhado para sumir debaixo de pegadas alheias. Não falta muito para que se esgotem meus dias, e sem canção de ninar, fecharei os olhos para essa terra.
Alucinei como um Quixote enlouquecido, mas o mundo me venceu. Não desmontei nenhum cartel de cocaína, não desbaratei nenhum comércio internacional de armas, não acabei com a prostituição infantil, não trabalhei em nenhuma clínica para aidéticos na África. Plantei igrejas, mas como agente transformador da história só consegui arranhar a superfície. Enviei missionários, mas sobraram poucos, a maioria foi engolida por culturas fortíssimas e histórias milenares. Pela falta de recursos financeiros, fizemos um mínimo.
Trabalhei como um messias onipotente, mas me cansei nessa arrogância. Não vi meus três filhos crescerem porque desejava pregar em congressos que, só hoje vejo, serviam mais para inflar egos do que ajudar na construção do Reino. Viajei centenas de milhares de milhas para, abatido, assistir o avanço desenfreado de uma teologia mercantilista, egocêntrica, dogmática e fundamentalista. Deixei minha mulher chorando em casa porque me acreditava essencial em um evento que, olhando para trás, não passava de uma programação para fortalecer instituições humanas. Deixei, muitas vezes, minha cama e meu travesseiro para dormir em hotéis baratos, porque me via como Atlas, tendo que carregar o mundo nas costas. Fiz poucos amigos porque achava que precisava atender todas as pessoas. Lamento não ter tido tempo para conversar nos fins de tarde com minha querida avó, que tanto pediu minha presença. Eu me sentia obrigado a visitar um membro de minha igreja que nunca me considerou seu amigo. Ele só queria usar um pouco de minha falsa onipotência.
Vivi como um deus imortal e acordei tardiamente para minha finitude. Com trinta anos de idade, considerava que a velhice esperaria séculos para visitar-me. Agora, aos cinqüenta e dois, ela me acena de uma esquina chuvosa e fria. Como fui tolo de acreditar que podia desperdiçar momentos preciosos e que meu calendário se prolongaria para sempre.
Desisto de meus quixotismos, falsa onipotência e dos desejos de ser eterno.
Assim, tomo algumas decisões.
1. Continuarei lutando sem a pressão de ter que dar certo. Farei o bem porque vale a pena, mesmo que não haja nenhuma recompensa. Desejo terminar minha caminhada ao lado de pessoas queridas e sentir-me como naqueles filmes em que um punhado de heróis idealistas se prepara para enfrentar, e provavelmente ser esmagado, por um exército e um deles diz ao outro, acreditando ser suas últimas palavras: "Foi uma honra lutar ao lado dos senhores".
2. Para eu aceitar qualquer compromisso de participar ou falar em alguma conferência, usarei dois, unicamente dois, critérios: a) as aspirações, caminhada e intenções daquele evento contribuem com os anseios mais profundos da minha alma? b) estarei entre amigos que preferem uns aos outros em honra?
Quero preparar-me para o último tempo de minha vida. Não tenho mais tempo para comportar-me como neófito porque, como dizem os americanos, “The stakes are too high!” (as apostas estão altas de mais).
Soli Deo Gloria.

ESSE É DO BOM!







A HIPÓCRITA FESTA CAPITALISTA


QUER PRESENTEAR O 'ANIVERSARIANTE'?
LEIA MATEUS 25.35ss

O RETRATO DE DEUS

Um homem viu um pequeno menino desenhando algo em uma folhade papel. Aproximando-se, perguntou: "O que você estádesenhando?" O garoto respondeu: "Um retrato de Deus." "Mas ninguém sabe como é Deus," falou o homem. Com muita firmeza e confiança o menino concluiu: "Eles saberão quando eu terminar."
Você sabe como é Deus? O que Ele representa para sua vida? Tem buscado conhecê-lo mais e mais a cada dia?

Sabedoria do Rabino

Nessa polêmica sobre aborto e pesquisa de células de embriões, um gruporesolveu entrevistar várias autoridades médicas e religiosas com o tema "Quando é o princípio da vida". Uns disseram que a vida começa na hora do parto, outras autoridades responderam que o ser é considerado vivo quando o coração é formado, outras responderam que a vida começa no momento da concepção, etc, etc...
Um Rabino respondeu: para mim a vida começa quando as crianças terminam a Universidade, mudam-se para suas casas e levam consigo todos os animais deestimação.

TEMPO DO CABELO LONGO


ESBOÇO DO LOGO