RECOMENDE!

terça-feira, janeiro 29, 2008

HUMANOS ANIMALESCOS

Nossa existência começa como a de quase todo ser. Somos gerados por semelhantes, destes precisamos de cuidados por um tempo determinante. Depois passamos por várias fases como: brincar, aprender, socializar, conquistar espaço, namorar, reproduzir, garantir a família, comer, dormir, apreciar o céu e esperar a morte chegar. Quanta coisa! Porém para nós animais humanos, podemos atingir cem anos e para muitos, sem muita alegria. Para quem atingir cem, foi um piscar de olhos, mas para quem ainda está começando a jornada parece uma eternidade.

Os outros animais em sua maioria também vivem desta forma, passando por esta mesma seqüência de fases, certo que cada um dentro do ‘kronos’ estabelecido para sua espécie. Entretanto nós humanos temos uma sede por acúmulo. Como dizem, ganha a vida quem termina com mais brinquedos na caixa. A qualidade de vida é a aferida pela quantidade de bens que possuímos. Desta maneira não queremos terminar nossas vidas como a dos outros animais, ‘sem nada vim, sem nada estou indo’, queremos terminar o jogo com muitos créditos.

O que nos difere dos outros animais é a humanidade e será que é isto que é ser humano? Gastar nossa existência para conquistar bens materiais e mergulhar no hedonismo?

Creio que não. Também não creio que ser humano é apenas ter empatia pelo próximo. Isto é característica do humano, porém não é a nossa essência diferencial. Animais também podem ser empáticos.

O que nos faz humanos é a nossa espiritualidade, nossa capacidade de interagir em dois mundos, o animal e o espiritual. Somos seres transcendentes, Podemos transcender dentro da nossa própria mente através de uma viagem no mundo das próprias idéias tendo novas percepções ou podemos transcender ao mundo espiritual e ter percepções utópicas ao mundo carnal.

Ser humano é ter a habilidade de crescer espiritualmente, e isto não conseguimos em cursinhos de Teologia ou participação em cultos dominicais, a menos que este aprendizado ou interação num grupo religioso ecoe sobre todos os seus atos levando a voz do Reino espiritual para o Reino animal, trazendo o transcendente ao imanente. Pois se não for assim, teremos apenas professores de história cristã e seres que espiam o mundo espiritual, mas dele não participam. Mesmo aqueles que desenvolvem uma outra espiritualidade que não é a cristã, trazem para o mundo animal, o mundo espiritual. Sensores espirituais são aflorados e principalmente uma preocupação com o porvir. O mundo animal é reconhecido como a alavanca que impulsiona o humano que ainda transita em dois mundos para o mundo espiritual definitivamente.

O que nos dá a capacidade de atuar como humanos é a razão. Apenas seres racionais podem participar dos dois mundos conscientemente. Uma pessoa debilitada mentalmente só terá participação no mundo espiritual se for manipulada por forças espirituais, assim como o restante dos animais. A fé vem pelo ouvir e ouvir é uma faculdade da razão.

A mente além de ser um campo de batalhas entre o querer e o realizar, é também um oceano com um imenso horizonte a ser explorado e é a mente que transcende, tanto dentro dela mesma como também ao mundo espiritual.

A humanidade tem gerados humanos animalescos, ou seja, humanos que vivem como animais. Suas existências em nada diferem dos bichos, a não ser a necessidade de acumular, e isto só explicita que o ser humano que difere dos outros animais por sua capacidade de raciocinar e de transcender ao mundo espiritual usa suas capacidades humanas para se apegar cada vez mais mundo animal. Contrário ao animal humano que sabendo da sua condição animal racional, usa sua humanidade para galgar o mundo espiritual, seja ela por meio do altruísmo e sacrifícios ou como nós cristãos cremos na imprescindível necessidade do Salvador sem máculas que é Único e é Jesus Cristo. Cremos também que para ser Salvador, Ele tem que ser Senhor do que há de ser salvo. E para isto deixou muitos ensinamentos para seus súditos que são contra esta forma animalesca que vivemos.

Jesus sempre nos mostrou a nossa fraca condição carnal, mas nunca deixou de nos mostrar o Caminho que definitivamente nos levará ao mundo espiritual onde teremos muitas moradas.

Dentro da nossa animalidade podemos atingir o ápice da selvageria e esquartejar um semelhante. Entretanto os animais humanos têm a oportunidade única dentre os animais de usar sua espiritualidade para dar um ‘up grade’ na sua existência tendo a satisfação de participar e desfrutar do Reino espiritual eternamente e esta é a última fase que somente os humanos que não vivem como animais podem experimentar.

CLODOALDO CLAY NUNES

28.01.2008

Nenhum comentário: