RECOMENDE!

quinta-feira, agosto 28, 2008

BITOLA

A bitola das ferrovias (distância entre os dois trilhos) nos EstadosUnidos é de 4 pés e 8,5 polegadas.
Por que esse número foi utilizado?
Porque era esta a bitola das ferrovias inglesas e como as americanas foram construídas pelos ingleses, esta foi a medida utilizada. Por que os ingleses usavam esta medida?
Porque as empresas inglesas que construíam os vagoes eram as mesmas que construíam as carroças antes das ferrovias e se utilizavam dos mesmos ferramentais das carroças. Por que das medidas (4 pés e 8,5 polegadas) para as carroças?
Porque a distância entre as rodas das carroças deveria servir para as estradas antigas da Europa, que tinham esta medida. E por que tinham esta medida?
Porque essas estradas foram abertas pelo antigo império romano, quandodesuas conquistas, e tinham as medidas baseadas nas antigas bigas romanas. E por que as medidas das bigas foram definidas assim?
Porque foram feitas para acomodar dois traseiros de cavalos!
E finalmente:
O ônibus espacial americano, o SpaceShuttle, utiliza dois tanques de combustível sólido (SRB - Solid Rocket Booster) que são fabricados pela Thiokol, em Utah. Os engenheiros que os projetaram queriam faze-los mais largos, porém tinham a limitaçao dos túneis das ferrovias por onde eles seriam transportados, os quais tinham suas medidas baseadas na bitola da linha.
Conclusão: O exemplo mais avançado da engenharia mundial em design e tecnologia acaba sendo afetado pelo tamanho da bunda do cavalo da Roma antiga.
MORAL DA HISTÓRIA:
Ainda que voce trabalhe com alta tecnologia, pode ser que sua empresa tenha o caminho definido por bundões.

Questão da prova do ITA


Rasgue a mente!
A questão abaixo caiu na prova do ITA do ano passado, portanto aí vai umExemplo para os que almejam estudar nas melhores universidades do país, ok?
Pura matemática
Uma mãe é 21 anos mais velha que o filho.
Daqui há seis anos a mãe terá uma idade 5 vezes maior que o filho. Pergunta :
Onde está o pai agora ?

Há que fazer alguns cálculos para obter a resposta.
Por mais incrível que pareça a resposta é dada pela matemática.
Pense bem, calcule e.......
depois veja a resposta abaixo.
É bem interessante:
Solução


Analisando Hoje :
A mãe tem hoje Y anos.
O menino tem hoje X anos.
Portanto com a mãe 21 anos mais velha : Y = X + 21
Daqui a 6 anos : ( Y + 6 ) e ( X + 6 )
Portanto com a mãe 5 vezes mais que filho: Y + 6 = 5 ( X + 6 )
Resolvendo: Y + 6 = 5 X + 30 Y = 5X + 24
Dai, substituindo na primeira equação:Y = X + 21,
teremos: 5X + 24 = X + 21
Logo: - 4X = 3 X = -3/4
O menino tem hoje -3/4 anos, ou seja, - 9 meses (menos nove meses!!).
A resposta é lógica:
Se o menino tem exatos menos 9 meses, ele nascerá daqui a nove meses,
então:
Resposta do problema proposto:
O pai está com a mãe enquanto você esquenta a cabeça.

quarta-feira, agosto 27, 2008

Ecce Homo – Frases - NIETZSCHE

A filosofia, como a compreendi e a vivi até agora, é a vida voluntária nomeio do gelo e das altas montanhas – é a busca de tudo que é estranho e duvidoso na existência, de tudo que foi até agora proscrito pela moral. P 16.

Os anos de minha baixa vitalidade foram aqueles em que deixei de ser pessimista: o instinto do auto-restabelecimento me proibiu uma filosofia de pobreza e de desanimo. P 23

Aquilo que não o mata o torna mais forte. P 24.

Estou sempre a altura das circunstâncias; para ser mestre de mim mesmo é preciso que eu seja colhido de improviso.P 26

A piedade só é chamada virtude entre os decadentes. P 27.

Meu tipo de represália consisti em punir tão rápido a asneira pela inteligência P.28.

Estar doente nada mais é do que uma espécie de ressentimento. P 29

Não é pela inimizade que se termina com a inimizade, é com a amizade que se consegue terminar com a inimizade. P.29.

O ressentimento, nascido da fraqueza, não prejudica ninguém mais que o fraco. P.29.

O pendor agressivo é tão inerente a força como o sentimento de vingança e de rancor o é da fraqueza. P.30.

A força do agressor se mede, por assim dizer, pelos adversários de que necessita. P 30.

Igualdade diante do inimigo – primeira condição de um duelo leal. P 30.

Minha pratica de guerra se resume em quatro princípios. Primeiro: só ataco causas vitoriosas. Segundo: só ataco coisas contra as quais não posso encontrar nenhum aliado onde avanço sozinho.Terceiro: não ataco nunca as pessoas. Quarto: só ataco as coisas das quais toda acepção de pessoa está excluída, nas quais falta todo um plano de experiências estranhas. P.31.

Deus, imortalidade da alma, salvação, além são outros tantos conceitos os quais não me dediquei nenhuma atenção, tão pouco nenhum tempo, nem sequer quando era criança - talvez eu não fosse já bastante infantil para isso? P.35.

Esta cultura (idealismo) que ensina desde o inicio a perder de vista as realidades para ir a caça de objetivos inteiramente problemáticos chamados ideais. P.36

As bebidas alcoólicas me são prejudiciais; um copo de vinho ou de cerveja por dia basta para tornar minha vida um vale de lágrimas. P 47.
O sedentarismo – já o disse uma vez – é o verdadeiro pecado contra o Espírito Santo. P 38.

O idealismo foi a doença que me reconduziu à razão. P 40.

Deve-se evitar o máximo possível o acaso, o estimulo externo; fechar-se entre muros de alguma forma faz parte da elementar sabedoria instintiva, da gestação intelectual. P 41.

Eu não teria podido suportar minha juventude sem a musica de Wagner. P 46.

O erudito gasta toda a sua energia em dizer sim e não na critica daquilo que já foi pensado, ele próprio não pensa mais. P 49.

Logo cedo pela manhã quando se está no frescor do dia, na aurora da própria foca, ler um livro – a isso chamo vicio. P 49.

Ninguém pode escutar nas coisas, inclusive nos livros, mais do que já sabe. Não se tem ouvidos para escutar aquilo a que não se tem acesso pela experiência vivida. P 56.

Porque só na medida em que a coragem ousa se aventurar, se aproxima precisamente da verdade. O conhecimento, o dizer sim a realidade, constituem para o forte uma necessidade da mesma ordem que, par a o fraco a covardia é a fuga diante da realidade – o ideal – sob a inspiração da fraqueza... o fraco não tem liberdade de conhecer : os decadentes tem necessidade da mentira, tem nela uma das condições da própria conservação. P 67.


A doença me conferiu de qualquer forma o direito de uma reviravolta completa de todos os meus hábitos; permitiu-me, ordenou-me o esquecimento; deu-me de presente a obrigação de permanecer deitado, do ócio, da espera e da paciência... Mas é justamente isso que se chama pensar... Meus olhos decidiram por si sós acabar com toda bibliomania, falando claro: a filologia: livre-me dos livros, durante anos não voltei a ler mais nada – o maior beneficio que me concedi a mim mesmo. P 80.

A questão da origem dos valores morais é, pois, para mim uma questão capital, porque condiciona o futuro da humanidade. P 84.

Todos os meus escritos são anzóis: entenderia eu talvez de pesca de anzol mais do que ninguém?... Se nada mordeu não é culpa minha. Não havia peixes...P.101.

Falando teologicamente – que se ouça com atenção, pois raramente falo como teólogo – foi o próprio Deus que, sob a aparência de serpente ao final de sua tarefa repousou sobre a arvore do conhecimento: assim descansava de ser Deus...tudo o que ele tinha feito era muito belo, o diabo não é mais do que a ociosidade de Deus a cada sete dias...P 102.

Definição da moral: a idiossincrasia de decadentes, com a intenção oculta de se vingar da vida – e isso, com sucesso. Dou muito valor a esta definição. P 121.

Tudo o que até hoje se chamava ‘verdade’ é reconhecido como a forma mais nociva, mais pérfida, mais subterrânea de mentira; o pretexto sagrado de ‘melhorar’ a humanidade, reconhecido como astúcia para sugar o sangue da vida, para torná-la anêmica. P 122.



Ser Pai


Ser pai é ser companheiro, construindo no ninho familiar a grandeza dos filhos, para alicerçar valores que edificam a sociedade.
Ser pai é ser jardineiro, plantando raízes de virtudes com mãos delicadas, para que o lar seja sementeira de luz e de verdade.
Ser pai é ser herói, protegendo o espaço sagrado de seu templo-família, cultivando no coração dos filhos o germe da harmonia.
Ser pai é ser fonte de vida, inaugurando nossa história com gestos de amor, renovando perenemente a herança da criação.
Ser pai é ser poeta, declamando com carinho os versos de sua vivência, para cultivar e enobrecer os projetos de nossa existência.

JESUS


SAMPEDRO - GUARUJÁ




TEOLOGIA


A Arte de Calar

"0 silencio é um momento vivificante de graça, em que a criatura se cala, mas o espírito fala"
Calar sobre sua própria pessoa, é humildade.
Calar sobre os defeitos dos outros, é caridade.
Calar quando a gente está sofrendo, é heroísmo.
Calar diante do sofrimento alheio, é covardia.
Calar diante da injustiça, é fraqueza.
Calar quando o outro está falando,é delicadeza.
Calar quando o outro espera uma palavra,é omissão.
Calar e não falar palavras inúteis, é penitência.
Calar quando não há necessidade de falar,é prudência.
Calar quando Deus nos fala no coração,é silêncio.
Calar, diante do mistério que não entendemos, é sabedoria.

Piada ou reflexão?

Um homem chegou em casa, após o trabalho, e encontrou seus três filhos brincando do lado de fora, ainda vestindo pijamas. Estavam sujos de terra, cercados por embalagens vazias de comida entregue em casa. A porta do carro da sua esposa estava aberta.A porta da frente da casa também.O cachorro estava sumido, não veio recebê-lo. Enquanto ele entrava em casa, achava mais e mais bagunça.
A lâmpada da sala estava queimada, o tapete estava enrolado e encostado na parede. Na sala de estar, a televisão ligada aos berros num desenho animado qualquer, e o chão estava atulhado de brinquedos e roupas espalhadas.
Na cozinha, a pia estava transbordando de pratos; ainda havia café da manhã na mesa, a geladeira estava aberta, tinha comida de cachorro no chão e até um copo quebrado em cima do balcão. Sem contar que tinha um montinho de areia perto da porta.
Assustado, ele subiu correndo as escadas, desviando dos brinquedos espalhados e de peças de roupa suja. 'Será que a minha mulher passou mal?' ele pensou. 'Será que alguma coisa grave aconteceu?'
Daí ele viu um fio de água correndo pelo chão, vindo do banheiro. Lá ele encontrou mais brinquedos no chão, toalhas ensopadas, sabonete líquido espalhado por toda parte e muito papel higiênico na pia. A pasta de dente tinha sido usada e deixada aberta e a banheira transbordando água e espuma.
Finalmente, ao entrar no quarto de casal, ele encontrou sua mulher ainda de pijama, na cama, deitada e lendo uma revista.
Ela olhou para ele, sorriu, e perguntou: como foi seu dia?
Ele olhou para ela completamente confuso, e perguntou: Que diabos aconteceu aqui em casa? Por que toda essa bagunça?
Ela sorriu e disse:
- Todo dia, quando você chega do trabalho, me pergunta:
'- Afinal de contas, o que você fez o dia inteiro dentro de casa?'
-'Bem... hoje eu não fiz nada, fofo!'

quinta-feira, agosto 07, 2008

Despedidas necessárias...

Posso até já ter aceitado, mas não tolero a idéia de voltar a subir num palco de show gospel. Já paguei o mico de dar uma “palavrinha” entre um artista e outro e depois me perguntar: “O que foi mesmo que fui fazer ali?”.

Criei verdadeira rejeição aos chavões que, nesses grandes espetáculos, presumivelmente exaltam a glória de Javé. Rostos pingando de suor e mãos levantadas pelo frenesi bem encenado de “levitas” sinceramente vazios, não me impressionam mais.

Tento, mas não consigo entender a utilidade das “marchas para Jesus”. Talvez sirvam para mostrar aos abutres políticos do país, o naco eleitoral que os apóstolos de plantão conseguem juntar. A bem da verdade, nessas marchas, os trios elétricos arrastam os crentes para um carnaval fora de hora. Podem atrapalhar o trânsito do sábado, mas a comunidade gay perceberá que os crentes são numerosos e igualmente espalhafatosos!

Já fui um pastor engomado, mas hoje desdenho dos ternos Armani, das abotoaduras de ouro, dos relógios cravejados de brilhante que compõem o kit dos “servos” de Deus que, com tique nervoso, ajeitam a gravata para mostrar como a “unção” lhes inchou o pescoço.
Rio sempre que me deparo com as estatísticas dos crentes. Li que um evangelista vinha conseguindo “ganhar” cem mil almas para Cristo por ano; determinada missão, que se notabilizou por mostrar o filme Jesus, “converte” dezenas de milhões por mês; um missionário alemão, que carrega a maior tenda do mundo pelo circuito africano, reporta números astronômicos; um pastor americano afirma ter vendido mais livros do que qualquer outro autor secular ou religioso em todos os tempos. Se der crédito, a população da terra já se converteu umas cinco ou seis vezes.

Suspeito dos testemunhos de milagre com o mesmo cuidado com que abro a carta que me diz que ganhei trinta quilos de ouro em um sorteio que nunca participei. Se todas as maravilhas propaladas nos programas de televisão e todas as intervenções sobrenaturais anunciadas no rádio acontecessem mesmo, certamente, a renda per capta da América Latina seria maior do que a da Suíça e a comunidade científica já estaria pesquisando o segredo do câncer erradicado entre os pentecostais.

Chega o tempo em que fases, processos e estações se encerram. Torna-se necessário se despir da antiga pele para se recobrir da nova. Quando dou as costas para muita coisa, pressinto a Terra Prometida além do rio que luto para atravessar.

Soli Deo Gloria.

Ricardo Gondim