RECOMENDE!

quarta-feira, junho 15, 2011

QUEM ÉS TU?

PARADOXOS DO NOSSO TEMPO

"Temos casas maiores, famílias menores; mais facilidades, menos tempo; mais diplomas, menos senso; mais conhecimento, menos juízo; mais especialistas, mais problemas; mais remédios, menos bem-estar."
by George Carlin (Ensaio Antropológico)

SOMBRAS

video

AQUÁTICA

video

SONHO DAS MULHERES

video

TALK TALK

video

HI JACK

video

COMPRE UM LAPTOP

video

BRANCA DE NEVE DO SÉC. XXI

video

AQUÁRIO

video

APRENDA A ROUBAR UMA VAGA

video

NADA É IMPOSSÍVEL

video

SEGUNDA-FEIRA

video

SEXTA-FEIRA

video

quinta-feira, junho 02, 2011

TELEMARKETING E CORRESPONDÊNCIAS

Um editor de notícias da CBS nos brinda com essas preciosas dicas sobre como lidar com as agressões de marketing que nos bombardeiam todos os dias.

1) Um método que realmente funciona: Ao receber uma chamada de telemarketing oferecendo qualquer coisa, diga apenas:
- "Por favor, aguarde um momento..."

Diga isso, deixe o fone sobre a mesa e vá cuidar de outras tarefas (ao invés de simplesmente desligar o telefone de imediato).

Isso vai fazer com que cada chamada de telemarketing que fizerem tenha uma duração muito longa, arruinando as metas do marqueteiro que lhe ligou.

Periodicamente verifique se o marqueteiro ainda está na linha e reponha o fone no gancho somente após ter certeza de que ele desistiu e desligou. Isso dá uma lição de alto custo para esses intrusos.

Se difundirmos esse método ajudaremos a eliminar ofertas indesejadas por telefone.


2) Alguma vez você já atendeu ao telefone, e parecia não haver ninguém do outro lado?


Esta é uma técnica de telemarketing onde um sistema computadorizado faz a ligação e registra a hora em que a pessoa atendeu.


Esta técnica é utilizada por marqueteiros para determinar a melhor hora do dia em que uma pessoa real deverá ligar, evitando assim que o "precioso" tempo de ligação deles venha a ser desperdiçado, caso você não esteja em casa.

Neste caso, ao receber este tipo de ligação, não desligue. Ao invés disso, pressione o botão "#" no seu telefone seis ou sete vezes seguidas, em rápida sucessão.


Isso normalmente confunde o computador que discou seu número, fazendo registrar que seu número é inválido, e eliminando seu número do banco de dados. Ah, que pena, eles não têm mais seu número para ligar de novo...


3) Propaganda inserida em suas contas recebidas pelo correio:

Todos os meses recebemos propaganda indesejada inserida em nossas contas de telefone, luz, água, cartões de crédito, e outros. Muitas vezes essas propagandas vêm com um envelope de resposta comercial, que "não precisa selar; o selo será pago por..."
Insira nesses envelopes pré-pagos a propaganda recebida e coloque de volta no correio, COLOCANDO A PRÓPRIA COMPANHIA COMO DESTINATÁRIO.

Caso queira preservar sua privacidade, remova qualquer coisa que possa identificá-lo antes de inserir no envelope.

Isso funciona excepcionalmente bem para ofertas de cartões, empréstimos, e outros itens "pré-aprovados" . Não jogue fora esses envelopes pré-pagos. Devolva-os com as propagandas recebidas. Faça essas companhias pagarem duas vezes pela propaganda enviada.

Aproveite para inserir anúncios da pizzaria local, de lavanderias, supermercados, ou qualquer outro item inoportuno que esteja à mão..

Algumas pessoas já estão praticando isso e devolvendo esse lixo de volta a essas companhias. Mas, veja bem, temos que dar nosso recado. Precisamos ter números expressivos de pessoas aplicando essas técnicas eficazes de protesto.


A torcida da vida

video

A Fábula da Galinha Vermelha.

Ficou mais conhecida quando foi divulgada por Ronald Reagan, nos anos
70, quando presidente reduziu a carga tributária e conseguiu aumentar
a arrecadação nos EUA.

A história da galinha vermelha que achou alguns grãos de trigo e disse
a seus vizinhos:
'Se plantarmos trigo, teremos pão para comer. Alguém quer me ajudar a
plantá-lo?'

'Eu não', disse a vaca.
'Nem eu', emendou o pato.
'Eu também não', falou o porco.
'Eu muito menos', completou o ganso.
'Então eu mesma planto', disse a galinha vermelha.

E assim o fez.
O trigo cresceu alto e amadureceu em grãos dourados.
'Quem vai me ajudar a colher o trigo?', quis saber a galinha.

'Eu não', disse o pato.
'Não faz parte de minhas funções', disse o porco.
'Não depois de tantos anos de serviço', exclamou a vaca.
'Eu me arriscaria a perder o seguro-desemprego', disse o ganso.
'Então eu mesma colho', falou a galinha, e colheu o trigo ela mesma.

Finalmente, chegou a hora de preparar o pão.
'Quem vai me ajudar a assar o pão?' Indagou a galinha vermelha.

'Só se me pagarem hora extra', falou a vaca.
'Eu não posso por em risco meu auxílio-doença', emendou o pato.
'Eu fugi da escola e nunca aprendi a fazer pão', disse o porco.
'Caso só eu ajude, é discriminação', resmungou o ganso.
'Então eu mesma faço', exclamou a pequena galinha vermelha.
Ela assou cinco pães, e pôs todos numa cesta para que os vizinhos pudessem ver.

De repente, todo mundo queria pão, e exigiu um pedaço.
Mas a galinha simplesmente disse: 'Não, eu vou comer os cinco pães sozinha'.
'Lucros excessivos!', gritou a vaca.
'Sanguessuga capitalista!', exclamou o pato.
'Eu exijo direitos iguais!', bradou o ganso.
O porco, esse só grunhiu.

Eles pintaram faixas e cartazes dizendo 'Injustiça' e marcharam em
protesto contra a galinha, gritando obscenidades.
Quando um agente do governo chegou, disse à galinhazinha vermelha:
'Você não pode ser assim egoísta'.
'Mas eu ganhei esse pão com meu próprio suor', defendeu-se a galinha.
'Exatamente', disse o funcionário do governo. 'Essa é a beleza da
livre empresa. Qualquer um aqui na fazenda pode ganhar o quanto
quiser. Mas sob nossas modernas regulamentações governamentais, os
trabalhadores mais produtivos têm que dividir o produto de seu
trabalho com os que não fazem nada'.

E todos viveram felizes para sempre, inclusive a pequena galinha
vermelha, que sorriu e cacarejou: 'eu estou grata', 'eu estou grata'.
Mas os vizinhos sempre perguntavam por que a galinha, desde então,
nunca mais fez porra nenhuma... Nem mesmo um pão.

*******************************************************************
Esta 'fábula' deveria ser distribuída e estudada em todas as escolas
brasileiras. Quem sabe, assim, em uma ou duas gerações, sua mensagem
central pudesse tomar o lugar de toda essa papagaiada
pseudo-socialista, que insiste em assombrar nosso país e condená-lo à
eterna miséria.

Em tempo... Qualquer semelhança desses bichos com alguns abaixo é mera
coincidência:
'Sem Terra',
'Sem Teto',
'Sem Bolsa Escola',
'Puxa-sacos',
'Sem Vergonha'...
e outros bichos mais.

HUMANO...

SALIM...

O turco Salim chega ao banco e fala para o gerente:


- Eu quer fazê uma embréstimo!!!

Surpreso, o gerente pergunta para Salim:

- Você, Salim, querendo um empréstimo? De quanto?

- Uma real.

- Um real? Ah, isso eu mesmo te dou.

- Não, não! Eu querer embrestado da banco mesmo! Uma real!

- Bem, são 12% de juros, para 30 dias...

- Zem broblema! Vai dar uma real e doze zentavos. Onde eu assina?

- Um momento, Salim. O banco precisa de uma garantia. Sabe como é, são as normas.

- Bode begá meu Mercedes zerinha, que tá lá fora e deixá guardado no garagem da banco, até eu bagá a embréstimo. Tá bom azim?

- Feito!!!

Chegando em casa, Salim diz para Jamile:

- Bronto, nóis já bode viajá bra Turquia zem breogubazon. Conzegui dexar a Mercedes num garagem do Banco do Brasil bor 30 dias, e eu só vai bagá doze zentavos.

HOMENS E MULHERES




A vida passa rápido...









A vida é curta, quebre regras, perdoe rapidamente, beije lentamente, ame de verdade, ria descontrolavelmente, e nunca pare de sorrir, por mais estranho que seja o motivo. E lembre-se que não há prazer sem riscos.

A vida pode não ser a festa que esperávamos, mas uma vez que estamos aqui, temos que comemorar!!!
Aprecie....

quarta-feira, junho 01, 2011

A Piscina do Diabo








No Zimbabwe, na África Austral (parte sul do continente), encontram-se as magníficas Cataratas Victória, uma queda de 128 metros de altura. O lugar é conhecido, e não sem razão, pelo sugestivo nome de "A Piscina do Diabo" por ser possível se banhar, sem um grande risco aparente, nas proximidades da queda, graças a uma estiagem que acontece entre os meses de setembro a dezembro.
Cada vez mais procurada por turistas interessados em lugares exóticos e emocionantes, as Cataras Victória têm se tornado uma experiência única em se tratando de turísmo radical